Economia

Comissão aprova crédito suplementar pedido pelo governo Bolsonaro

O dinheiro pedido pelo governo é para pagar o Bolsa Família, o Benefício de Prestação Continuada e o Plano Safra

O governo Bolsonaro conseguiu aprovar o PL número 4 de 2019 de R$ 248,9 bilhões, no início da tarde desta terça-feira (11/6), após pouco mais de duas horas de debate entre parlamentares da oposição e favoráveis ao presidente da República. A votação aconteceu no plenário da Comissão Mista de Orçamento, na Câmara dos Deputados.

A reunião, que já tinha sido adiada, teve início às 11h, mas foi suspensa para a reunião. O dinheiro pedido pelo governo seria para pagar o Bolsa Família, o Benefício de Prestação Continuada e o Plano Safra. A oposição, inicialmente, pediu R$ 10 bilhões com destinação específica para não obstruir a pauta.

As assinaturas deveriam ser direcionadas da seguinte forma: R$ 5 bi para o Minha Casa Minha Vida, R$ 3 bi para as universidades federais, R$ 1 bi para o CNPQ e R$ 1 bi Farmácias Populares. A deputada Joice Hesselmann, (PSL-SP) já tinha demonstrado certeza na votação da CMO. A proposta é do líder Carlos Zarattini (PT/SP).

No fim, ficou negociado R$ 1 bi para as universidades federais, R$ 1 bi para o Minha Casa Minha Vida, por meio de portaria, R$ 1 bi para a educação, R$ 330 milhões para as bolsas do CNPQ a partir dessa semana, R$ 550 milhões para a transposição do Rio São Francisco e R$ 300 mi para a a compra de medicamentos.

No debate, a oposição insistiu, mesmo após a negociação, que bastaria R$ 146 bilhões para o governo fechar as contas de 2019. Disseram, ainda, que é um cheque em branco ao governo em nome de Joice Hesselmann. Após a CMO, o PL irá para o plenário da Câmara, e será votado em sessão conjunta. Para esta etapa, não há acordo, embora o resultado da CMO seja um bom indicativo para o governo.

“Se estamos votando o PLN é fruto de grande acordo. Elogio a deputada Joice Hesselmann, que é avalista do acordo. Sabemos que Ildo Rocha tem maioria na comisse,provavelmente, terá no plenário. É um acordo que garante a liberação da verba das universidades e que não terão problema de custeio até o fim do ano”, afirmou o deputado Nelson Pellegrino (PT-BA).

“O PSDB, desde o início, tem se posicionado pela derrubada dos vetos na Educação e pela conclusão das obras da transposição do Rio São Francisco. Com a liberação dos recursos, o governo fará frente aos programas sociais. Portanto, o PSDB é favorável”, disse o também deputado Celso Sabino (PSDB-PA).

“Não é hora de brigar, mas de nos abraçar. Estamos votando pela agricultura familiar e pelos mais pobres”, acrescentou Hesselmann após uma breve discussão sobre as pressões da oposição que quase pôs a negociação a perder.

Fonte: Correio Braziliense
Luiz Calcagno

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios