Home Esportes Cavalieri abre o jogo sobre saída do Fluminense: ‘Não teve profissionalismo’

Cavalieri abre o jogo sobre saída do Fluminense: ‘Não teve profissionalismo’

0
26

Um dos oito dispensados pelo Fluminense por uma lista divulgada no site do clube no final de 2017, o goleiro Diego Cavalieri reuniu a imprensa em um condomínio da Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro, nesta quinta-feira (18), para dar a sua versão sobre o ocorrido. Ídolo do Tricolor, mais de 350 jogos com a camisa do time das Laranjeiras e destaque no título brasileiro em 2012, Cavalieri se mostrou muito chateado. com a posição da diretoria, principalmente com o presidente Pedro Abad e com Marcelo Teixeira.

“Claro que você tem um sentimento ruim. Não teve profissionalismo nenhum da parte deles. Sei que o responsável por tudo isso foi o presidente e o Marcelo Teixeira, pode ser que tenha outras pessoas envolvidas, mas diretamente para mim foram eles dois. Se tivesse jogado aberto, franco, no começo das férias, seria de uma outra forma. O clube está no direito dele de não contar mais com o profissional, mas desde que seja de uma forma justa e honesta. A maneira que foi me deixa muito triste e chateado. Na minha cabeça tenho quem são os responsáveis por isso. Mas o amor ao clube, à torcida, aos funcionários continua. A chateação é com esses dois, a gente vai vendo o que está acontecendo com o Fluminense”, disse o goleiro.

Confira outros pontos da coletiva de Diego Cavalieri

Momento que recebeu a notícia

Fui pego de surpresa. Mais pelo prazo, pelo dia que foi. Isso que me deixou mais magoado. Faz parte do processo o clube contar com seu trabalho ou não. Estamos acostumados. Mas a maneira que foi, a data que foi. Me mandaram mensagem dia 27 de dezembro, perguntaram se eu tomava conta das minhas coisas ou se tinha alguém, disse que era eu. Pediram para me ligar em uma hora. Passou o dia inteiro. Dia 28 à tarde o Teixeira me ligou. Falou que teve uma reunião no clube, que eu tava fora. Ia marcar um dia na semana para fazer a minha rescisão. Foi mais chateação pela data que foi. Dezembro inteiro, todo mundo já fechado. Para dar sequencia na carreira, arrumar um time, fica mais complicado. Acabou ocorrendo dessa maneira, whatsapp um dia antes.

Suposta proposta de redução salarial

Disseram que tentaram essa conversa, mas é tudo mentira. Tinha tirado passaporte, feito visto. Mandaram um whatsapp e a ligação foi avisando que eu estava fora. Era para marcar uma reunião para rescisão. Essa conversa que tentaram argumentar, foi tudo mentira.

Conversa com Abel Braga

Não teve contato com ninguém. O único contato que tive foi com o Teixeira. Após o fato, o Abel me mandou mensagem, a gente conversou. É um cara que conheço desde 2011, transparente, tranquilo. Ele estava viajando, demonstrou a preocupação dele, a chateação dele. Tivemos um diálogo muito franco. Ele disse que ficou sabendo depois que saiu (a nota). Acredito muito nele. Ligou após o ocorrido, lamentando, dizendo que não estava sabendo de nada, que foi decisão da diretoria. Acredito na palavra dele, que sempre me tratou com olho no olho e sempre tivemos uma relação muito boa.

Justiça

Essa parte burocrática o advogado está conduzindo. A atitude deles já foi tomada. A minha também. Agora é deixar isso prosseguir na Justiça. Que ela seja feita, em relação a isso eu estou bem tranquilo. Não tem como conversar com os caras depois de tudo que aconteceu. Foram oito atletas. Você vê o Marquinho, é o mais absurdo para mim. Operado, fez a cirurgia uma semana antes de acabar o campeonato. Não tiveram nem a preocupação de recuperar o atleta. Não tenho a intenção de conversar com esses caras não.

Contato com outros clubes

Na primeira semana teve muito contato de empresário, querendo saber, especulando, mas nada de proposta oficial. Pela data que foi, pelo mercado hoje no Brasil, todos os times têm excelentes goleiros, sei que vai ser difícil uma situação acontecer. Estou treinando todo dia para quem sabe alguma coisa possa acontecer. Mas a maneira como foi me deixou meio sem opção. Agora é esperar, buscando, tentando contato, vendo possibilidades, mas é ter a consciência que vai levar um tempinho para achar uma outra opção.

Fluminense de 2018

Difícil porque é uma mudança grande. Muitos jogadores importantes da equipe saíram. Você perde um pouco da referência. Mas o Fluminense tem excelentes jovens. Mas tudo que acontece hoje se potencializa. Espero que eles possam seguir trabalhando, amenizar um pouco essa situação. A tendência é que seja um ano muito complicado, difícil. A gente já conversava sobre isso no fim do ano. A torcida é para que o Fluminense se fortaleça e, na questão administrativa, que tenham pessoas capacitadas para ajudar o clube a se reerguer.

Críticas a Marcelo Teixeira e possível conversa com a diretoria

As pessoas no Fluminense aparececem quando a coisa está boa. Quando está ruim se escondem lá em Xerém. Você não sabe qual é a função. Principalmente no caso do Teixeira. Dificilmente ele se expõe. Com ele e o presidente lá, não tem jeito. Mas sem eles, estou disposto a conversar, tenho carinho muito grande pelo clube, principalmente pela torcida, que sempre me respeitou, me tratou muito bem. O carinho que tenho pelo Fluminense é imenso. Quem sabe o dia que essas pessoas não estiverem mais lá, podemos conversar.

Carinho do torcedor

É um momento difícil, delicado. Como falei, quando se tem caráter, conduta, você anda de cabeça erguida. Na rua, as pessoas me param, vem falar comigo, todos se sentem chateados, me pedem desculpas. E aí você vê como vale a pena o esforço. O carinho, o reconhecimento, é o que vale, em um momento tão complicado. Me deixa muito grato. É o torcedor que move o futebol.

F: Esporte Interativo

Veja Também

Jorndana Lopes confirma apoio a Wilson Filho e Genival Matias

A prefeita de Joca Claudino, Jordhanna Lopes (PTB), confirmou ao Tribuna10 na manhã desta …