Conecte-se conosco

Rio Grande do Norte

Governo Federal reconhece situação de emergência pela seca em 18 cidades do RN

Municípios ficam nas regiões do Alto Oeste, Seridó e Trairi. Portaria foi publicada nesta quinta-feira (15) no Diário Oficial da União.

Publicado

em

Com as torneiras vazias, população de Santana do Matos precisa recorrer aos chafarizes para ter o que beber – RN – Seca no RN – Santana do Matos – Estiagem – Dezembro de 2017 — Foto: Anderson Barbosa/G1
header ads

O Governo Federal reconheceu situação de emergência em 18 cidades do Rio Grande do Norte em decorrência da seca (veja lista no fim). A Portaria nº 2.652 foi publicada nesta quinta-feira (15) no Diário Oficial da União.

Para a publicação, o documento considerou o Decreto nº 29.968, do Governo do Rio Grande do Norte, que havia renovado a situação de emergência por seca nesses municípios por mais 180 dias. O texto foi publicado no dia 8 de setembro no Diário Oficial do Estado.

No decreto, o Executivo Estadual apontou que o RN registrou bons índices no período chuvoso, o que foi suficiente para reduzir de 132 para 18 os municípios em situação de emergência, mas “não registrou volumes suficientes para uma recarga satisfatória de alguns reservatórios importantes para atingir a segurança hídrica, sobretudo os localizados nas regiões do Alto Oeste, Seridó e Trairi”.

Entres os reservatórios citados do no documento, estão o Açude Público de Pau dos Ferros, o Açude Itans e os Açudes Inharé e Trairi, “sendo registrada, ainda, a existência de municípios em situação de colapso hídrico, como os de Paraná e São Miguel, localizados no Alto Oeste Potiguar”.

Além disso, o texto cita a deficiência hídrica para suprir as necessidades das zonas rurais com água potável e aponta que o RN tem “81% de seus municípios abastecidos pelo Programa da Operação Carro Pipa, da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil do Governo Federal (SEDEC/MDR), executado através do Exército Brasileiro (EB), os quais dependem única e exclusivamente deste programa para que a população possa receber água em suas casas localizadas na zona rural”.

O decreto estadual permite o Governo do RN pode contratar, “mediante dispensa de licitação, as obras e os serviços que se mostrarem aptos a mitigar as consequências provocadas pela estiagem”.

Veja os municípios

  1. Água Nova
  2. Apodi
  3. Coronel João Pessoa
  4. Doutor Severiano
  5. Encanto
  6. Equador
  7. Francisco Dantas
  8. Luís Gomes
  9. Paraná
  10. Pau dos Ferros
  11. Rafael Fernandes
  12. Riacho de Santana
  13. Rodolfo Fernandes
  14. São Francisco do Oeste
  15. São Miguel
  16. Severiano Melo
  17. Taboleiro Grande
  18. Venha Ver

Fonte: G1 RN 15/10/2020 17h16

--Publicidade--
Clique para comentar

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Rio Grande do Norte

Governo do RN prorroga decreto de calamidade por causa da pandemia da Covid-19

Documento publicado nesta terça-feira (20) vale por 90 dias e pode ser prorrogado por mais 90.

Publicado

em

Governadoria do Rio Grande do Norte — Foto: Thyago Macedo
header ads

O Governo do Rio Grande do Norte publicou, nesta terça-feira (20), um novo decreto que prorroga o Estado de Calamidade Pública no Rio Grande do Norte, por conta da pandemia do novo coronavírus, declarada em março pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O documento vale por 90 dias e pode ser prorrogado por mais 90 dias.

Para prorrogar o estado de calamidade, iniciado em março deste ano, o governo informou que levou em conta a continuidade do estado de calamidade pública em saúde de importância internacional, declarada pela Lei Federal nº 13.979, de 6 de fevereiro de 2020.

Ainda acordo com o estado, a decisão também considerou a continuidade de confirmação de pessoas infectadas, a necessidade de ações emergenciais e as mais de 2,5 mil mortes decorrentes da pandemia no RN, conforme os boletins da Secretaria de Saúde.

O decreto entrou em vigor a partir da publicação. Ainda de acordo com o Executivo, o Gabinete Civil do Governo do Estado (GAC) vai emitir ofício solicitando reconhecimento federal de Calamidade Pública, a partir do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR).

Fonte: G1 RN 20/10/2020 09h33

Continue lendo

Rio Grande do Norte

Polícia Civil encontra 19 mil papelotes de cocaína em depósito

Havia ainda 20 quilos de cocaína misturada a insumos no local. Segundo Denarc, droga apreendida pertence a facção criminosa.

Publicado

em

Cocaína foi encontrada em depósito na Zona Leste de Natal — Foto: Reprodução/Divulgação/Polícia Civil
header ads

Policiais civis da Delegacia Especializada de Narcóticos (Denarc) encontraram na manhã desta segunda-feira (19) um depósito no Paço da Pátria, Zona Leste de Natal, com 19 mil papelotes de cocaína prontos para comercialização ilegal.

Segundo a Polícia Civil, no local havia ainda outros 20 quilos de cocaína misturada a insumos e mais dois quilos de cocaína prensada. Os policiais encontraram também 5,5 quilos de crack, além de balanças de precisão e rádio comunicadores.

As investigações da Polícia Civil apontam que o depósito pertence a uma facção criminosa, que abastece diversos pontos de comercialização de entorpecentes em Natal. O local estava vazio e ninguém foi preso.

A Denarc informou que segue realizando investigações para elucidar o crime e prender os envolvidos. Denúncias anônimas podem ser feitas pelo Disque Denúncia 181, da Polícia Civil.

Fonte: G1 RN 19/10/2020 15h04

Continue lendo

Rio Grande do Norte

Produção de camarão cresce pelo 3º ano seguido, chega a 20,7 mil toneladas e RN

Dados são da Pesquisa da Pecuária Municipal (PPM) 2019 do IBGE, divulgada nesta sexta-feira (15). Pendência lidera produção no estado.

Publicado

em

Camarão produzido no Rio Grande do Norte — Foto: Reprodução/TV Globo
header ads

Com uma produção de 20,7 mil toneladas, o Rio Grande do Norte se manteve como maior produtor de camarão do Brasil em 2019. O dado faz parte da Pesquisa da Pecuária Municipal (PPM) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada nesta quinta-feira (15). O resultado potiguar corresponde a 38,2% de toda a produção nacional.

As 20,7 mil toneladas geraram R$ 555,4 milhões. Ainda de acordo com o IBGE, o volume de recursos representa 46,8% do valor da carcinicultura brasileira. Na comparação com 2018, houve um crescimento de 5,1% na produção do crustáceo. Esse foi o terceiro ano consecutivo de crescimento.

Entre os dez municípios com maior produção de camarão do Brasil, seis são potiguares: Pendências, Canguaretama, Arês, Mossoró, Senador Georgino Avelino e Nísia Floresta. A soma da produção deles representa 71% de todo o camarão produzido no estado.

O Rio Grande do Norte também é o maior produtor de larvas de camarão do Brasil com 6,7 milhões de milheiros em 2019. Essa quantidade representa 56% da produção nacional de larvas. Juntos, o RN e o Ceará produzem 93% das larvas de camarão nacionais.

Mapa mostra municípios com maiores produções de camarão no Rio Grande do Norte — Foto: Reprodução/IBGE

Menor rebanho bovino do Nordeste

Seguindo a tendência nacional e da região Nordeste, o rebanho teve crescimento de 7% em 2019, comparado ao ano anterior, e chegou a 929,4 mil cabeças, de acordo com o levantamento do IBGE. Ainda assim, o rebanho potiguar é o menor do Nordeste e o quarto menor do Brasil.

O rebanho de caprino, por sua vez, variou negativamente no período, a quantidade cabeças caiu de 439.429 para 433.715. A redução de 1,3% segue na contração da região Nordeste, que teve crescimento de 6%.

O Rio Grande do Norte ainda verificou crescimento, em 2019, dos rebanhos ovinos (6%), suínos (7%) e de galináceos (29%).

Fonte: G1 RN 15/10/2020 12h29

Continue lendo

Destaques