Conecte-se conosco

Esportes

Stock Car desembarca em Londrina, quarta etapa do calendário 2020

Prova realizada no Autódromo Internacional Ayrton Senna, um dos circuitos que mais recebeu provas da Stock Car, tem Ricardo Maurício e Thiago Camilo como atuais vencedores

Publicado

em

Nelsinho Piquet acelera na pista de Londrina — Foto: Duda Bairros/Stock Car/Divulgação
header ads

Um dos principais palcos da Stock Car, o Autódromo Internacional Ayrton Senna em Londrina, no Paraná, vai receber a categoria neste fim de semana, válido pela quarta etapa do campeonato 2020. A programação começa a partir desta sexta-feira, 11 de setembro, com o primeiro treino livre.

O grid de largada será definido no sábado, dia 12, às 11h15, enquanto as duas corridas serão disputadas consecutivamente no domingo, a partir de 12h30 – sendo a segunda com as posições invertidas. O fim de semana também vai contar com as duas corridas que valem pela terceira etapa do calendário da Stock Light, categoria de acesso da Stock Car.

Ocupando respectivamente a quarta e a sétima posição, os atuais vencedores da Stock em Londrina são Ricardo Maurício e Thiago Camilo. Piloto da Eurofarma, Maurício subiu ao pódio na primeira corrida de 2020, realizada em Goiânia e vencida por Ricardo Zonta. Já Thiago Camilo, da A.Mattheis, obteve um quinto lugar como seu melhor resultado na atual temporada, na segunda corrida em Goiânia, vencida por Rubens Barrichello.

O circuito em Londrina já recebeu 34 corridas da Stock Car, a primeira sendo em 1992, vencida pelo paulista Adalberto Martins. A pista ficou fora do calendário da categoria entre 2012 e 2015, retornando na temporada de 2016, quando Felipe Fraga e Barrichello faturaram a vitória.

Assim como as etapas antecessoras, a disputa em Londrina será sob portões fechados, devido a pandemia do coronavírus. A prevenção ao vírus que já registrou quatro milhões de casos e 128 mil mortes no país também fez com que a organização da Stock Car aderisse a uma série de medidas, que incluem o controle no número de profissionais envolvidos com a realização e a cobertura da prova.

A etapa segue também com o intuito de arrecadar insumos para auxiliar no combate a Covid-19 no Brasil. A iniciativa que motivou a mudança na Corrida do Milhão – renomeada “Corrida do Milhão Solidário” em 2020 – foi desenvolvida pela categoria e patrocinadores com o objetivo de distribuir equipamentos de proteção individual (EPIs) e cestas básicas pelas cidades que compõem o calendário da Stock Car, até dezembro.

O atual líder do campeonato da Stock Car em 2020 é Ricardo Zonta, que faturou pela segunda vez a Corrida do Milhão, em 23 de agosto. Atrás dele está Cesar Ramos, ocupando a vice-liderança à frente de Rubens Barrichello, que venceu a segunda corrida em Goiânia, na abertura do campeonato em julho.

Fonte: GE – Londrina, Paraná 11/09/2020 14h03

--Publicidade--
Clique para comentar

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Esportes

Organizadores de Tóquio propõem redução de funcionários nos Jogos

Também é cogitada a redução do horário de locais de treinos

Publicado

em

Foto: REUTERS/Issei Kato/Direitos Reservados
header ads

Os organizadores da Olimpíada de Tóquio propuseram nesta sexta-feira (25) reduzir o número de funcionários nos Jogos do próximo ano e encurtar o período de abertura dos locais de treinamento, como parte de um plano para realizar um evento simplificado em meio à pandemia.

Os Jogos, originalmente programados para começar em julho deste ano, foram adiados por um ano pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) e pelo governo japonês devido à pandemia do novo coronavírus (covid-19). Desde então, os organizadores e autoridades do governo vêm buscando maneiras de cortar custos, simplificar os Jogos e proteger atletas e torcedores. Ainda assim, há dúvidas persistentes sobre a viabilidade de realizar um evento global em grande escala enquanto a pandemia continua.

O novo primeiro-ministro Yoshihide Suga vê o turismo como chave para retomar uma economia gravemente prejudicada e disse que deseja realizar a Olimpíada no próximo ano.

“Já estamos decididos a fazer isso [a olimpíada] no próximo ano, não importa o que aconteça”, declarou o presidente de Tóquio 2020, Yoshiro Mori, a repórteres em uma coletiva de imprensa, após reunião online de dois dias com representantes do COI.

Mori afirmou que o número de autoridades, funcionários e outras pessoas associadas aos Jogos pode ser reduzido em 10-15%. A operação do centro de imprensa principal pode ser reduzida em oito dias e as cerimônias de boas-vindas para os atletas, canceladas, segundo ele.

Os organizadores de Tóquio também sugeriram um período de abertura mais curto para os locais de treinamento e redução da equipe para o revezamento da tocha.

No entanto, não havia planos para reduzir o número de atletas participantes, disse o CEO da Tóquio 2020, Toshiro Muto.

Fonte: Agência Brasil
Publicado em 25/09/2020 – 12:35 Por Kiyoshi Takenaka – Tóquio (Japão)

Continue lendo

Esportes

Surto de covid-19 no Flamengo deixa Sindicato de Atletas em alerta

Entidade paulista vê risco à vida se jogo com Palmeiras for disputado

Publicado

em

Foto: Alexandre Vidal/Flamengo/Direitos Reservados
header ads

O Sindicato de Atletas de São Paulo (Sapesp) aguarda um parecer do médico da entidade, Renato Anghinah, que está em contato com especialistas na área de infectologia. Em nota, o sindicato entende que o duelo entre Palmeiras e Flamengo, marcado para este domingo (27), às 16h (horário de Brasília), pela Série A do Campeonato Brasileiro, “tem fortes indícios de risco à vida dos atletas profissionais e demais membros dos clubes”.

O receio se dá pela delegação rubro-negra ter voltado do Equador, onde a equipe realizou duas partidas pela Libertadores, com 27 contaminados pelo novo coronavírus (covid-19). São 16 jogadores, oito integrantes da comissão técnica (entre eles, o técnico Domènec Torrent e o médico Márcio Tannure) e três dirigentes, incluindo o presidente Rodolfo Landim.

“Uma vez obtido o parecer, e com a CBF [Confederação Brasileira de Futebol] mantendo sua postura de irresponsabilidade, buscaremos a justiça para o adiamento da partida”, finaliza o comunicado do Sapesp.

A entidade nacional ainda não se manifestou sobre o adiamento ou não da partida. Em entrevista ao site oficial da confederação, o presidente da Comissão Nacional de Médicos do Futebol (CNMF), Jorge Pagura, elogiou o protocolo de saúde adotado no Campeonato Brasileiro. A declaração foi veiculada em uma matéria que indica uma queda nos casos positivos da covid-19 nos testes do vírus, entre a primeira e a décima rodadas das competições.

“Desde o primeiro momento, a CBF vem tratando o cenário com extremo cuidado, sempre equilibrando as necessidades do mundo do futebol com a realidade que estamos enfrentando nessa pandemia. Esses dados mostram uma evolução na eficiência do protocolo, que segue com o objetivo de dar segurança sanitária a todos os envolvidos na realização das partidas”, disse Pagura.

O Flamengo defende o adiamento do jogo. “Essa não é uma simples questão desportiva. Trata-se de uma questão de saúde pública. O resto é clubismo”, escreveu o vice-presidente do clube, Rodrigo Dunshee de Abranches, no Twitter. O Palmeiras se manifestou na última terça-feira (22), quando o Rubro-negro tinha sete jogadores e dois membros da comissão técnica infectados. “O protocolo adotado para a competição contempla situações desse tipo. Não há, portanto, razão para que o jogo não aconteça”, disse a nota assinada pelo presidente Maurício Galliote, na mesma rede social.

Fonte: Agência Brasil
Publicado em 24/09/2020 – 15:51 Por Lincoln Chaves – Repórter da TV Brasil e da Rádio Nacional – São Paulo
Edição: Fábio Lisboa

Continue lendo

Esportes

Tóquio exigirá testes de covid-19 para atletas, mas não quarentena

Primeiro-ministro do Japão e Thomas Bach iniciaram projeto de regras

Publicado

em

Foto: Reuters/Stoyan Nenov/Direitos Reservados
header ads

Os organizadores da Olimpíada de Tóquio (Japão), adiadas para o ano que vem, vão exigir testes de detecção do novo coronavírus (covid-19) de atletas estrangeiros na chegada ao Japão, mas não um período de quarentena de duas semanas, de acordo com projeto de regras divulgado nesta quarta-feira (23).

Atletas japoneses e outros participantes que vivem no Japão enfrentarão requisitos semelhantes ao viajar para campos de treinamento e locais de competição sob as medidas planejadas, que foram divulgadas após uma reunião entre o comitê organizador de Tóquio 2020, o governo japonês e autoridades metropolitanas de Tóquio.

A pandemia, que infectou milhões em todo o mundo, lançou uma sombra sobre a viabilidade dos Jogos do próximo ano, mesmo com o novo primeiro-ministro do Japão, Yoshihide Suga, enfatizando sua importância.

Na manhã de hoje, Suga conversou com o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, por telefone, sobre a realização de uma Olimpíada de sucesso. Suga prometeu cooperar estreitamente na execução de um evento seguro para atletas e torcedores, informou seu gabinete.

No esboço do plano, os organizadores de Tóquio também propuseram limitar as viagens dentro do Japão para atletas, que teriam de registrar todas as rotas de deslocamentos domésticos e seriam transportados em veículos exclusivos para cidades que hospedam delegações nacionais e para locais de treinamento.

Detalhes das medidas sanitárias de prevenção à covid-19 para os Jogos ainda estão em discussão, incluindo a frequência dos testes, disse aos repórteres Toshiro Muto, diretor executivo do comitê organizador de Tóquio 2020.

Muto afirmou esperar que as deliberações com o COI e várias federações esportivas internacionais sejam finalizadas até dezembro.

Fonte: Agência Brasil
Publicado em 23/09/2020 – 13:25 Por Mari Saito, Kiyoshi Takenaka e Daniel Leussink – Repórteres da Reuters – Tóquio

Continue lendo

Destaques