Conecte-se conosco

Paraíba

João Pessoa responde por 32% do PIB da PB, tem 17 mil empresas e índice de emprego em 61%

Números são de diferentes pesquisas realizadas entre 2017 e 2019 e divulgadas nesta terça-feira (4) pelo IBGE em homenagem ao aniversário da capital paraibana.

Publicado

em

Setor da construção foi o que mais cresceu em João Pessoa, mas o de serviço público e comércio é o que mais emprega — Foto: Krys Carneiro/G1
header ads

João Pessoa responde por aproximadamente 32% do Produto Interno Bruto (PIB) da Paraíba e se consolida como a cidade que mais colabora com os números estaduais. Além disso, a capital paraibana tem 17,7 mil empresas e 61,6% da população acima de 14 anos com algum tipo de trabalho remunerado. Os diferentes números foram coletados de pesquisas realizadas entre 2017 e 2019, mas só compilados e divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira (4), como forma de homenagear a cidade pelo seu aniversário de 435 anos, que acontece nesta quarta-feira (5).

Com relação aos empregos, os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua de 2019. Do total da população dentro do mercado de trabalho, 68,8% atuavam como empregados, 24,1% trabalhavam por conta própria, 5,6% eram empregadores e 1,5% formavam a categoria de trabalhador familiar auxiliar. Em sentido contrário, a taxa de desocupação girava em 12,1%.

O setor que mais emprega é o de servidores públicos, que respondem por 82,6 mil vagas de empregos. Outras 45,1 mil vagas são do setor de comércio e de reparação de veículos, 30,9 mil são de saúde humana e serviços sociais e 27,9 mil são de atividades administrativas e serviços complementares.

No que diz respeito ao PIB, a cidade tinha em 2017 o 43º maior entre todos os mais de cinco mil municípios brasileiros, tendo melhorado onze posições num intervalo de dez anos. Neste montante, o setor de comércio e de prestação de serviços era o que mais colaborava com o desempenho local, respondendo por 59,7% do total.

Já o PIB per capita, que é a divisão do valor total com o da população da cidade, o de João Pessoa estava fixado em R$ 24,3 mil.

O IBGE tratou também das empresas pessoenses, segundo dados do Cadastro Central de Empresas. Em 2017, a cidade tinha aumentado 24,4% o montante existente dez anos antes. Das 17,7 mil empresas e outras organizações formais da cidade, aliás, 31,8% eram provenientes de atividades econômicas de comércio ou reparação de veículos automotores e motocicletas. Enquanto que o ramo de atividades administrativas e serviços complementares ocupava a segunda colocação, com 16,7%.

Apesar disso, o setor que mais cresceu na série história de dez anos foi o da construção civil, que pulou de 5% para 10,3%.

Fonte: G1 PB 04/08/2020 17h29

--Publicidade--
Clique para comentar

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Paraíba

Cerca de 112 mil estudantes da PB não tiveram atividades escolares em agosto, diz IBGE

Em julho, o número foi de 144 mil alunos sem atividades escolares.

Publicado

em

Cerca de 112 mil estudantes da PB não tiveram atividades escolares em agosto, segundo IBGE — Foto: Reprodução/Divulgação Uniube
header ads

Cerca de 112 mil estudantes da Paraíba, com idades entre 6 a 29 anos, não tiveram atividades escolares em agosto, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em comparação ao levantamento do mês de julho, número diminuiu.

De acordo com o IBGE, no mês de agosto, 809 mil dos estudantes paraibanos (86,8%) tiveram atividades, indicando alta em relação ao que foi constatado no mês de julho, que registrou 80,9%.

A pesquisa foi divulgada na quarta-feira (23), junto com outros dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad Covid-19). O levantamento também mostrou que a disponibilização de atividades foi mais comum entre os alunos que estão no ensino fundamental (90,5%) e no ensino médio (87,8%), enquanto entre os estudantes do nível superior o percentual foi de 73%.

A pesquisa indica ainda que o acesso às atividades teve maior abrangência entre estudantes que têm rendimento domiciliar per capita de quatro salários-mínimos ou mais (98,5%), enquanto o alcance foi menor entre os que têm esse valor variando de um a menos de dois salários-mínimos (84,9%) ou inferior a meio salário (85,7%).

Em relação à frequência das atividades (aulas online, deveres, estudo dirigido etc), o levantamento estima que, para a maior parte dos estudantes (70%), ela foi de 5 dias por semana, enquanto para 11,6% foi de três dias; quatro dias para 6,1%; dois dias para 3,9%; um dia para 2,5%; e, finalmente, seis ou sete dias para 2%.

Fonte: G1 PB 24/09/2020 16h50

Continue lendo

Paraíba

Mais de 100 mil pessoas não fizeram nenhum isolamento na Paraíba em agosto

Estatística experimental aponta para flexibilização do isolamento, com 3,9 milhões de habitantes que adotaram alguma medida de isolamento no estado

Publicado

em

Foto: Reprodução/Acervo/Jornal Correio da Paraíba
header ads

Alguma medida de distanciamento social foi adotada por 97,3% da população paraibana em agosto, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Covid-19, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nesta quarta-feira (23). A estatística experimental aponta para flexibilização do isolamento, com 3,9 milhões de habitantes que adotaram alguma medida e 103 mil que não fizeram nenhuma restrição.

Frente a julho, houve queda na proporção de pessoas que ficaram rigorosamente isoladas, que caiu de 26,2% para 22,1%, assim como uma pequena redução na das que ficaram em casa e só saíram por necessidade básica, que passou de 46,3% para 45,4%. Em contrapartida, foi verificado crescimento no percentual daqueles que reduziram contato, mas continuaram saindo de casa ou recebendo visitas, que aumentou de 24,8% para 29,8%, no estado.

Segundo a coordenadora da pesquisa, Maria Lúcia Vieira, esse cenário indica flexibilização do isolamento por parte da população. “De alguma forma, as pessoas estão flexibilizando as medidas de isolamento social, uma vez que aumenta o percentual de pessoas que estão tendo medidas menos restritivas e diminui o percentual daquelas que aplicam medidas mais restritivas de isolamento”, explicou.

Em agosto, conforme a estimativa para o estado, 1,19 milhão de pessoas reduziram o contato, mas continuaram saindo de casa ou recebendo visitas; 1,82 milhão ficaram em casa e só saíram para necessidades básicas; e 887 mil ficaram rigorosamente isoladas, representando queda em relação a julho, quando esse número foi de 1,05 milhão.

No comparativo por faixa de rendimento domiciliar per capita, a maior proporção de pessoas que não fizeram restrição em agosto (2,9%) foi constatada entre aquelas em que esse valor é de meio a 1 salário-mínimo, enquanto o menor percentual (2,1%) foi observado no grupo em que o rendimento per capta é menor que meio salário-mínimo.

Já o isolamento rigoroso foi mais comum na faixa de quatro ou mais salários-mínimos, em que 25,4% das pessoas adotaram essa forma de distanciamento, bem como na parcela da população que tem rendimento domiciliar per capita de menos de meio salário-mínimo, em que essa proporção foi de 24,8%.

Fonte: Portal Correio

Continue lendo

Paraíba

Três homens são presos após serem encontrados com drogas

Abordagens foram realizadas pela Polícia Militar nos bairros do Cristo, Varadouro e Gramame, e os entorpecentes encontrados foram maconha, crack, cocaína e loló.

Publicado

em

Polícia Militar prende suspeitos com drogas durante abordagens em três bairros de João Pessoa — Foto: Reprodução/Divulgação/Polícia Militar
header ads

Três homens foram presos após serem encontrados com drogas, na segunda-feira (21), durante abordagens realizadas pela Polícia Militar nos bairros do Cristo, Varadouro e Gramame, em João Pessoa. Os entorpecentes encontrados foram maconha, crack, cocaína e loló.

De acordo com a polícia, a última apreensão foi no fim da noite, na comunidade Bela Vista, no bairro do Cristo Redentor. Um suspeito de 25 anos foi abordado pela PM e flagrado com 154 pedras de crack e 22 papelotes de maconha.

No Varadouro, a droga apreendida também era maconha e estava com um suspeito de 20 anos, que avançou o sinal vermelho com uma moto, ao perceber a presença dos policiais militares. Ele foi interceptado e preso com 100 gramas do entorpecente.

Já no bairro de Gramame, um suspeito de 19 anos foi abordado e preso com cinco porções de cocaína, um tablete de maconha, balança de precisão, quatro litros de loló e 57 frascos pequenos com o líquido. Ainda conforme a PM, os três casos foram levados para a Central de Flagrantes, no Geisel.

Fonte: G1 PB 22/09/2020 09h27

Continue lendo

Destaques