Conecte-se conosco

UIRAÚNA

OPERAÇÃO PÉS DE BARRO: STF instaura novo inquérito para investigar Wilson Santiago, e ex-prefeito de Uiraúna Bosco Fernandes, por lavagem de dinheiro, fraude a licitação e peculato.

Publicado

em

header ads

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), acatou um pedido da Procuradoria Geral da República (PGR) e decidiu instaurar um novo inquérito contra o deputado federal Wilson Santiago (PTB) por suposta prática de crimes de lavagem de dinheiro, fraude à licitação e peculato, no âmbito da Operação Pés-de-Barro.

Além dele, serão alvos do novo inquérito o ex-prefeito do Município de Uiraúna, João Bosco Nonato Fernandes, Evani Ramalho, Israel Nunes de Lima, Severino Batista do Nascimento, Luiz Carlos de Almeida e George Ramalho Barbosa, todos já investigados no âmbito da PGR.

No despacho, que o Polêmica Paraíbateve acesso, Celso de Mello defere a petição formulada pela PGR dentro da primeira denúncia da Operação Pés-de-Barro, e destaca que até a presente data a Justiça não conseguiu notificar o parlamentar sobre a denúncia formulada contra ele. 

“Por fim, defiro, em termos, os requerimentos formulados pela douta Procuradoria-Geral da República constantes das letras “a”, “b”, “c” e “d” da peça acusatória (fls. 336/337) e, em consequência, determino o desmembramento do presente procedimento penal, com a autuação de novo Inquérito, para o fim de apurar-se, nele, a suposta prática, pelos ora denunciados, dos “crimes de lavagem de dinheiro, fraude à licitação e peculato”, decidiu o ministro em despacho do dia 15 de Junho.

Celso de Mello ressalta que “restou frustrada, até a presente data, quando já transcorridos mais de 05 (cinco) meses da data do oferecimento da denúncia, e não obstante as reiteradas tentativas nesse sentido, a notificação do acusado José Wilson Santiago”.

O decano determinou “que se renove a diligência de notificação, porque as circunstâncias evidenciam, segundo as certidões exaradas nos autos, que o comportamento do congressista, ora notificando, parece justificar a ocorrência de “suspeita de ocultação”.

O novo inquérito

Conforme noticiou a reportagem, na primeira denúncia Wilson Santiago foi acusado dos crimes organização criminosa e corrupção passiva, mas a Polícia Federal apontava indícios de outros crimes, a exemplo de lavagem de dinheiro e peculato, o que será objeto deste novo inquérito desmembrado.

A reportagem apurou que, quando as novas investigações forem concluídas, a PGR poderá denunciar os investigados pela segunda vez, a depender dos indícios coletados na apuração dos fatos. As investigações são conduzidas pelo delegado paraibano Fabiano Emídio de Lucena.

Pés-de-Barro

A Operação Pés-de Barro investiga desvios de recursos públicos destinados à construção da Adutora Capivara, localizada no município paraibano. As investigações revelaram que, entre outubro de 2018 e novembro de 2019, a empresa Coenco Construções, responsável pelas obras, recebeu dos cofres públicos R$ 14,7 milhões e, em decorrência da ação criminosa, repassou R$ 1,2 milhão ao parlamentar Wilson Santiago e R$ 633 mil ao prefeito João Bosco Fernandes, como propina.

Leia abaixo trechos da decisão:

PRINT1 - CERCO SE FECHA NA PÉS DE BARRO: STF instaura novo inquérito para investigar Wilson Santiago por lavagem de dinheiro, fraude a licitação e peculato; LEIAPRINT2 - CERCO SE FECHA NA PÉS DE BARRO: STF instaura novo inquérito para investigar Wilson Santiago por lavagem de dinheiro, fraude a licitação e peculato; LEIAPRINT WILSON 3 - CERCO SE FECHA NA PÉS DE BARRO: STF instaura novo inquérito para investigar Wilson Santiago por lavagem de dinheiro, fraude a licitação e peculato; LEIA

Assinatura Celso de Melo - CERCO SE FECHA NA PÉS DE BARRO: STF instaura novo inquérito para investigar Wilson Santiago por lavagem de dinheiro, fraude a licitação e peculato; LEIA

Fonte: Polêmica Paraíba

--Publicidade--
Clique para comentar

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

UIRAÚNA

Padre faz críticas à carreata para receber o ex-prefeito de Uiraúna João Bosco Fernandes após deixar prisão.

Publicado

em

Pe Daniel Leite
header ads

Na última sexta-feira, 10, aliados políticos realizaram uma carreata para receber de volta o prefeito afastado de Uiraúna, João Bosco Fernandes, que havia sido preso pela Polícia Federal após a deflagração da Operação Pés de Barro.

O ex-prefeito havia sido preso após ser flagrado em um vídeo em que recebia dinheiro e o colocava na cueca. Ao longo da semana o ministro do Supremo Tribunal Federal, Celso de Mello, havia determinado que o prefeito poderia voltar para casa após o pagamento de uma fiança de mais de meio milhão de reais. Após pagar a fiança o prefeito conseguiu voltar para a cidade e foi recebido pela população com uma festa.

O fato que surpreendeu foi o posicionamento de um padre da Diocese de Patos nas redes sociais. O padre Daniel Leite postou em seu perfil do Facebook uma crítica à celebração ao retorno de João Bosco Fernandes para casa. Apesar de não escrever as palavras em sua publicação, o padre afirmou que o prefeito seria corrupto. O padre encerrou sua publicação com uma frase do filósofo Francis Bacon. “os ídolos ofuscam o avanço da racionalidade”. Veja a postagem abaixo:

Capturar 23 - BOAS VINDAS EM UIRAÚNA? Padre critica festa para recepcionar João Bosco Fernandes após prefeito deixar a prisão

Recepção a João Bosco Fernandes:

Continue lendo

UIRAÚNA

Câmara de Vereadores de Uiraúna realizou na noite da última sexta-feira 10, mais uma sessão ordinária.

Publicado

em

header ads

A Câmara municipal de Uiraúna realizou na noite da última quinta-feira 10, mais uma sessão ordinária no ano 2020, sob o comando do Presidente Toinho Magalhães.

Na sessão foi debatido diversos assuntos de importância da população Uiraunense, entre eles, a abertura de crédito para a construção de um Hospital Público Municipal em Uiraúna, o qual o projeto não entrou para votação na sessão, por conter alguns erros, segundo alguns parlamentares.

Os vereadores aprovaram durante a sessão ordinária:

Requerimento N°001/2020, de autoria do vereador Ciro Figueiredo: Requer que seja criada uma sala de imprensa na Câmara Municipal de Uiraúna, com o nome de “Paulo Ronaldo de Aquino”.

Projeto de Lei N°001/2020, de autoria do vereador Ciro Figueiredo: Denomina de Paulo Ronaldo de Aquino, a sala de imprensa da Câmara Municipal de Uiraúna-PB.

Estiveram presente na sessão todos os 11 vereadores.

Sessão câmara de UIRAÚNA 10/07/20

 

Da Redação do Uiraúna em Foco.

Continue lendo

UIRAÚNA

OPERAÇÃO PÉS DE BARRO: Ministério Público Federal apresenta manifestação e solicita providências.

Publicado

em

header ads

O Ministério Público Federal apresentou no último dia 09 de Julho, no inquérito de N° 4842, uma manifestação e solicitou providências.

Como o processo da Operação Pés de Barro, que investiga o ex-prefeito Bosco Fernandes e o Deputado Wilson Santiago, ambos acusados de receber proprina da obra da Adutora Capivara, corre em segredo de justiça, não dá para saber exatamente qual o tema da manifestação, e quais as providências solicitadas, resta agora aguardar as próximas movimentações.

Pés-de-Barro

A Operação Pés-de Barro investiga desvios de recursos públicos destinados à construção da Adutora Capivara, localizada no município paraibano. As investigações revelaram que, entre outubro de 2018 e novembro de 2019, a empresa responsável pelas obras, recebeu dos cofres públicos R$ 14,7 milhões e, em decorrência da ação criminosa, repassou R$ 1,2 milhão ao parlamentar Wilson Santiago e R$ 633 mil ao prefeito João Bosco Fernandes, como propina. Agora, as investigações ganham uma nova fase.

Da Redação do Uiraúna em Foco.

Continue lendo

Destaques