Conecte-se conosco

Ceará

Ocupação de leitos para Covid-19 chega a 81% em cidades com lockdown no interior do Ceará

Cidades do interior do Ceará passam a ser foco de preocupação das autoridades.

Publicado

em

Ocupação de leitos para Covid-19 chega a 81% em cidades do Ceará com lockdown — Foto: Reprodução/Sesa/Divulgação
header ads

Os municípios do interior do Ceará Sobral, Itapipoca, Camocim, Itarema e Acaraú, que começaram a adotar medidas mais rígidas de distanciamento social segunda-feira (1º), têm, juntos, 410 leitos ativos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) e de enfermarias para pacientes com Covid-19.

Nesta terça-feira (2), a taxa de ocupação desses leitos, é de 81,46%, conforme dados das secretarias municipais de saúde e da plataforma IntegraSus, da Secretaria da Saúde (Sesa) do Ceará.

Ao todo, nas cinco cidades, há 334 pessoas internadas em decorrência da Covid-19 neste momento. Dos cinco municípios, Camocim e Acaraú não têm leitos de UTI. Já Sobral, Itapipoca e Itarema contam com 137 leitos de UTIs ativos. Destes, 136 estavam ocupados (99,27%) na manhã desta terça-feira.

Em Itarema há 5 leitos de semi UTI, destinados a pacientes que exigem cuidados intensos, mas que não necessitam de monitoramento permanente. Além disso, as cinco cidades, juntas, têm 268 leitos de enfermarias. Deste total, 198 estavam ocupados.

As cinco cidades da região Norte, além de Caucaia e Maracanaú, na Região Metropolitana de Fortaleza, consta no decreto publicado no último sábado (30), pelo governador Camilo Santana (PT), como municípios que devem implementar medidas mais rígidas de isolamento social, assim como aconteceu em Fortaleza. Apesar das determinações, várias ações de desrespeito ao isolamento foram registradas no primeiro dia de validade dos decretos municipais.

Ocupação em Sobral

Juntas, as cinco cidades do interior somam 4.852 casos confirmados da doença, segundo a última atualização do IntegraSus. Sobral tem o maior número de infectados do Interior e segundo maior número de confirmações do Ceará, atrás apenas de Fortaleza.

O maior município da Região Norte também tem o maior número de leitos de UTI e enfermarias. Segundo a Prefeitura, são 120 UTIs (119 ocupadas) e 169 enfermarias (123 ocupadas) distribuídas no Hospital Regional Norte, na Santa Casa de Misericórdia de Sobral, no Hospital de Campanha Dr. Alves e no Hospital Dr. Estevam.

O isolamento social ainda é a principal saída para tentar prevenir o contágio da doença. “A velocidade da contaminação pode elevar rapidamente o número de casos. Com o agravamento desses casos, ainda que haja aumento na estrutura física, pode haver sobrecarga das equipes assistenciais”, avalia a coordenadora do Controle de Infecção Hospitalar do HRN, Diana Muniz. Ela reitera que o distanciamento contribui para que o sistema de saúde não seja sobrecarregado.

Pacientes com comorbidade

Caixão é levado para sepultamento, no Ceará — Foto: Kid Júnior/SVM (Arquivo)

Com a escassez de leitos nas unidades, pacientes que precisam de atendimento por conta de outras doenças são prejudicados. “Existem as outras comorbidades que não deixaram de existir, como o AVC e o infarto, que são provocados inclusive por diabetes, hipertensão, obesidade, fatores de risco de maior mortalidade em pacientes que adquirem Covid-19″, explica o neurologista, Gustavo Vieira Rafael.

A unidade referência possui 99 UTIs (todas ocupadas), e 72 enfermarias (com 62 pacientes). Por conta da demandaa, vem recebendo insumos do Governo do Estado, como 20 novos respiradores mecânicos.

A situação de Itapipoca, que tem o 5º maior número de infectados do Ceará também gera preocupação. No Município, os casos de maior complexidade vão para o Hospital Maternidade São Camilo, unidade referência para os municípios da 6ª Coordenadoria Regional de Saúde (Cres), atendendo as cidades de Itapipoca, Amontada, Miraíma, Trairi, Uruburetama, Tururu e Umirim. Os 17 leitos de UTI na unidade estão ocupados. Outros 18 pacientes estão internados em leitos das enfermarias. O município deve receber mais 40 leitos em um Hospital de Campanha.

Já em Camocim, na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) não há leitos de UTI. Das 16 enfermarias, 15 estão ocupadas. A Prefeitura afirmou que irá abrir mais 12 leitos de enfermaria nesta semana.

Já no Hospital Dr. Moura Ferreira, em Acaraú, 18 das 20 enfermarias estão com pacientes internados. A partir do dia 12, a UPA deve funcionar como Hospital de Campanha com 20 leitos de UTI. Em Itarema, o Hospital Municipal Natércia Rios, que também não possui leitos de terapia intensiva, tem 24 das 28 enfermarias ocupadas. Além de cinco semi-UTIs livres para receber pacientes.

Fonte: G1 CE 02/06/2020 17h48

--Publicidade--
Clique para comentar

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Ceará

Ceará chega a 134.610 casos de Covid-19 e 6.842 óbitos; recuperados somam quase 107 mil

Informações são da plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde (Sesa) atualizada às 19h31 desta sexta-feira (10).

Publicado

em

O acesso à cidade de Sobral, que está em lockdown para evitar a disseminação do coronavírus, é restrito — Foto: Mateus Ferreira/SVM
header ads

O Ceará contabiliza 134.610 casos confirmados de Covid-19 e 6.842 óbitos em decorrência da doença. Os dados são da plataforma IntegraSUS, atualizados pela Secretaria de Saúde do Ceará às 19h31 desta sexta-feira (10).

São 106.952 pessoas recuperadas da enfermidade no Estado. A plataforma indica que há outros 70.330 casos suspeitos do novo coronavírus e 590 mortes em investigação. O Ceará já realizou 341.231 testes para detectar a presença do vírus.

Fortaleza concentra os maires números, com 37.943 casos e 3.499 mortes pelo novo coronavírus. A capital está na fase 3 do processo de reabertura econômica. Na Região Metropolitana, Maracanaú (4.355 casos) e Caucaia (4.223) também têm altos índices da infecção. Caucaia é a segunda cidade em número de mortes, com 303 falecimentos. Em Maracanaú, 217 pessoas morreram pela doença.

Um estudo da Universidade Estadual do Ceará aponta que Fortaleza teria 1,6 mil mortes a mais por Covid-19 sem as medidas de prevenção. No Estado, as viagens intermunicipais voltaram a ocorrer a partir desta sexta-feira. No entanto, especialistas apontam que a circulação entre a capital e o interior pode aumentar o contágio da Covid-19.

Sobral é a segunda cidade em número de casos, com 8.246 registros. A cidade, na Região Norte, contabiliza 255 mortes. Sobral está em lockdown deste 1° de julho. O isolamento mais rígido também foi adotado em Juazeiro do Norte, Barbalha, Crato, Brejo Santo, Tianguá e Iguatu.

Juazeiro do Norte, no Cairi, teve forte crescimento da doença e concentra 3.865 diagnósticos positivos da Covid-19, com 127 mortes. A região caririense apresenta a maior taxa de transmissão do vírus do Ceará.

O número de diagnósticos do novo coronavírus também se destaca nas cidades de Quixadá (2.324), Maranguape (2.128), Camocim (1.957) Acaraú (1.922) e São Gonçalo do Amarante (1.782).

Veja outras informações da plataforma:

  • A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 66,63%;
  • A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 41,78%;
  • A mortalidade da doença no Estado é de 5,1%.

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Veja como ficam as regiões no plano de retomada econômica:

  • A capital cearense continua na etapa 3, e as barracas de praia podem funcionar;
  • Demais cidades da macrorregião de Fortaleza seguem na Fase 2;
  • Macrorregião do Sertão Central, Litoral Leste seguem na Fase 1;
  • Região Norte para fase de transição;
  • Cidades da região Cariri e Centro-Sul mais afetadas (Juazeiro, Crato, Barbalha, Brejo Santo, Iguatu, Sobral e Tianguá) seguem em isolamento social rígido “por mais uma semana”.

O plano de retomada das atividades não essenciais tem um ciclo de transição em quatro fases. E cada uma dura 14 dias. Os municípios do Ceará estão em diferentes estágios em relação ao plano conforme a gravidade do cenário da doença, sendo a capital a cidade com maior nível de reabertura.

Fonte: G1 CE 10/07/2020 10h03

Continue lendo

Ceará

Cirurgias eletivas com agendamento prévio devem retomar em três fases de atividades no Ceará

Apesar da orientação, a Secretaria Estadual de Saúde não deu previsão de retorno dos procedimentos.

Publicado

em

Cirurgias eletivas com agendamento prévio devem retomar em três fases de atividades no Ceará — Foto: Reprodução/Arquivo pessoal
header ads

As unidades hospitalares da rede estadual de Saúde do Ceará devem retornar gradualmente às atividades cirúrgicas eletivas – aquelas com possibilidade de marcação – em três etapas, a depender da situação epidemiológica no Ceará, conforme orientações divulgadas pela a Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) na última quarta-feira (8).

Na primeira fase, somente 50% dos níveis normais de atividade deverão funcionar, subindo para 75% na segunda e, na última, completando 100%. A pasta, porém, não deu previsão para a retomada dos procedimentos. As cirurgias eletivas foram suspensas em abril, devido à pandemia de coronavírus.

Nesta quinta-feira (9), o Ceará já contabiliza 130.992 casos confirmados de Covid-19 e 6.691 mortes em decorrência da doença, conforme a plataforma IntegraSUS. Fortaleza lidera nos índices do novo coronavírus, com 37.680 diagnósticos positivos e 3.450 óbitos.

As orientações de retomada apontam para a importância da utilização de novos protocolos e práticas para controle da Covid-19 dentro das unidades de saúde. Será de responsabilidade de cada instituição o planejamento de protocolos próprios, seguindo recomendações científicas de prevenção ao coronavírus, assim como a análise dos leitos disponíveis.

As medidas devem respeitar as particularidades dos serviços e instituições de saúde, considerando ainda os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) disponíveis. O plano criado também deve seguir os cuidados dos Protocolos Básicos de Segurança do Paciente.

Ao longo das etapas, a Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) e o Núcleo de Segurança do Paciente dos hospitais devem avaliar os protocolos e divulgar os cuidados com as equipes multidisciplinares atuantes.

Etapas

Após a cirurgia eletiva ser agendada, o paciente passará por um teste da Covid-19, a fim de verificar se está contaminado ou não. Além disso, a equipe do hospital também fará uma pesquisa para saber se houve contatos próximos com casos confirmados da doença.

Em seguida, após o resultado da avaliação do paciente, a cirurgia deve ter prosseguimento caso o teste dê negativo para a Covid-19. Se a análise do teste der positivo, a cirurgia precisará ser adiada até a recuperação do paciente.

Conforme a Sesa, na necessidade de adiamento, deverá haver uma conversa entre a equipe técnica e o paciente, a fim de explicar a situação.

Cuidados

A realização das cirurgias deverão ser revistas em relação aos riscos, havendo adoção de escalas racionais de trabalho a fim de evitar aglomeração de pacientes e equipes cirúrgicas, assim como de protocolos de funcionamento, higienização e disponibilidade de EPIs das unidades.

Em casos de necessidade de intubação, a operação deve ocorrer dentro de uma sala de pressão negativa.

Fonte: G1 CE
Por Beatriz Rabelo, G1 CE 09/07/2020 13h03

Continue lendo

Ceará

Quase 95% dos profissionais da saúde infectados no Ceará estão recuperados da Covid-19

Trabalhadores da saúde infectados são 9,7% de todos os casos confirmados do estado.

Publicado

em

Mais de 11 mil profissionais de saúde já se recuperaram no estado. — Foto: Reprodução/Divulgação/Prefeitura de Fortaleza
header ads

Dos profissionais da saúde infectados pelo coronavírus no Ceará, 94,9% estão recuperados da doenças, segundo dados do portal IntegraSUS, que reúne informações da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), até a manhã desta quarta-feira (8). Ao todo, 12.531 pessoas da área testaram positivo para o vírus. Desse grupo, 11.896 estão recuperadas. Os indicadores mostram que 28 profissionais morreram por Covid-19.

No Ceará, no mesmo período, foram confirmados 127.952 casos e 6.563 óbitos por coronavírus. O número de profissionais da saúde que entraram em contato com o vírus representa 9,7% do total de casos confirmados no estado. Ainda são investigados 6.862 casos entre os trabalhadores. Enquanto mulheres da categoria foram as mais infectadas, tendo 72,1% das confirmações, os homens foram os que mais morreram em decorrência da doença, com 18 mortes.

Os profissionais mais expostos ao vírus são os técnicos e auxiliares em enfermagem. Essa categoria concentra 3.665 casos confirmados e também o maior número de mortes, com nove registros. Em seguida, os enfermeiros apresentam 1.799 pessoas infectadas e quatro óbitos. Além disso, os dados mostram que 1.305 médicos testaram positivo para a Covid-19 e oito deles morreram com a doença.

Fortaleza é a cidade que concentra o maior número de casos de Covid-19 em profissionais da saúde (6.622) e a maior quantidade de óbitos (12). A Capital é seguida de Sobral (592), Caucaia (559), Maracanaú (198) e Cascavel (193). Apenas oito municípios do Ceará não registraram nenhum profissional da linha de frente do combate com positividade para coronavírus.

Covid-19 no Ceará

O Ceará ultrapassou a marca de 100 mil recuperados da Covid-19, com 101.606 pessoas que se curaram da doença, de acordo com dados da plataforma IntegraSUS atualizados às 8h58 desta quarta-feira (8).

Pelo menos 92,39% das cidades cearenses já registraram mortes em decorrência da Covid-19. A taxa de mortalidade da doença no Estado está em 5,1%.

Fortaleza concentra os maiores índices da doença, com 37.498 diagnósticos positivos e 3.397 mortes confirmadas. A média diária de óbitos na capital vem reduzindo por sete semanas seguidas, segundo o prefeito Roberto Cláudio. Fortaleza está na fase 3 do processo de reabertura econômica e, nesta quarta-feira (8), tem taxa de reprodução do vírus de 0,8 – o índice é o menor no Estado.

A Região do Cariri tem os maiores índices de transmissão do Estado. O índice de Reprodução Efetiva de Casos (RT) calcula para quantas pessoas saudáveis um infectado pode transmitir a doença. Juazeiro do Norte registrou 2.847 casos confirmados e 124 mortes. A cidade está lockdown, assim como Sobral, Barbalha, Crato, Brejo Santo, Tianguá e Iguatu.

Sobral é a segunda cidade em número de casos, com 7.685 confirmados. 249 pessoas não resistiram à doença na cidade da Região Norte. Conforme estudo da Universidade Federal de Pelotas, Sobral tem a maior incidência de contaminados pelo novo coronavírus no Brasil.

As cidades de Maracanaú e Caucaia, na Grande Fortaleza, têm 4.194 e 4.059 casos confirmados, respectivamente. Caucaia soma 293 mortes e Maracanaú acumula 213, em decorrência da Covid-19. Os 43 três municípios da Macrorregião da capital entraram na segunda fase de retomada nesta segunda (6). A etapa é marcada pela reabertura dos restaurantes, com horário de funcionamento das 9h às 16h.

O IntegraSUS aponta que há ainda 68.850 casos suspeitos do novo coronavírus. São 599 mortes em investigação. O Estado já realizou 323.324 testes para detectar o vírus.

O número de casos confirmados também se destaca nas cidades de Quixadá (2.237), Camocim (1.938), Maranguape (1.860), Acaraú (1.827), São Gonçalo do Amarante (1.786) e Itapipoca (1.731).

Veja outras informações da plataforma:

  • A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 70,64%;
  • A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 44,75%;

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Veja como ficam as regiões no plano de retomada econômica:

  • Fortaleza avança para a etapa 3;
  • Demais cidades da macrorregião de Fortaleza avançam para a fase 2;
  • Macrorregião do Sertão Central, Litoral Leste/Jaguaribe avança para a fase 1;
  • Macrorregiões Norte e Cariri permanecem na fase de transição da economia.
  • E seguem em isolamento social rígido as cidades de Juazeiro, Crato, Barbalha, Brejo Santo, Iguatu, Sobral e Tianguá;

O plano de retomada das atividades não essenciais tem um ciclo de transição em quatro fases. E cada uma dura 14 dias. Os municípios do Ceará estão em diferentes estágios em relação ao plano conforme a gravidade do cenário da doença, sendo a capital a cidade com maior nível de reabertura.

Fonte: G1 CE 08/07/2020 14h19

Continue lendo

Destaques