Conecte-se conosco

Rio Grande do Norte

RN tem 4.006 casos confirmados e 178 mortes por coronavírus

Estado registrou 210 novos casos e 8 mortes em 24 horas. Dados foram divulgados pela Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) nesta quinta-feira (21).

Publicado

em

- Foto: Reprodução/Reprodução
header ads

O Rio Grande do Norte chegou a 4.006 casos confirmados e 178 mortes por coronavírus, de acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) nesta quinta-feira (21). Outras 40 mortes estão em investigação para saber se foram ou não por Covid-19.

O boletim da Sesap indica ainda que o estado conta com 12.584 casos suspeitos do coronavírus e 9.117 casos descartados, além de 997 pacientes recuperados da doença.

O estado registrou 210 novos casos e 8 mortes em 24 horas. No boletim de quarta (20) eram 3.796 casos confirmados e 170 mortes.

Ainda de acordo com o boletim, 396 pacientes estão internados com coronavírus ou suspeita da doença, sendo 133 em leitos de UTI.

Situação do coronavírus no RN

  • 178 mortes
  • 4.006 casos confirmados
  • 12.584 suspeitos
  • 9.117 descartados
  • 997 recuperados

Fonte: G1 RN 21/05/2020 16h58

--Publicidade--
Clique para comentar

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Rio Grande do Norte

RN tem 268 mortes e 6.463 casos confirmados de coronavírus

Dados foram divulgados pela Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) nesta sexta-feira (29).

Publicado

em

Amapá - teste rápido covid exame teste coronavírus — Foto: Caio Coutinho/G1
header ads

O Rio Grande do Norte tem 6.463 casos confirmados e 268 mortes pelo novo coronavírus. Os dados atualizados constam no boletim epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) desta sexta-feira (29). Além disso, outras 74 mortes estão em investigação.

Na quinta-feira, não houve boletim emitido pela pasta. No registro anterior, na quarta-feira (27), o RN tinha 5.630 casos confirmados de Covid-19 – 833 a menos que os números atuais – e 242 óbitos (26 a menos).

O boletim desta sexta-feira (29) aponta ainda que o RN tem 1.410 pessoas recuperadas da doenças e outros 14.906 casos suspeitos de Covid-19.

– Foto: Reprodução

Situação do coronavírus no RN

268 mortes
6.463 casos confirmados
14.906 suspeitos
12.552 descartados
1.410 recuperados

De acordo com a Sesap, atualmente 450 pacientes estão internados no Rio Grande do Norte com coronavírus. Destes, 277 estão na rede pública de saúde e 173 nas unidades privadas. A Secretaria revela que os leitos de UTI estão 78% ocupados na rede pública (com 104 pacientes) e 75,6% nos hospitais particulares (com 59).

Com relação aos leitos de internação semi-intensiva, as taxas de ocupação são de 89% nas unidades de saúde públicas e 71,4% nas privadas.

Fonte: G1 RN 29/05/2020 18h05

Continue lendo

Rio Grande do Norte

Com lei sancionada, governo e prefeituras do RN esperam receber socorro financeiro de R$ 792 milhões da União

Texto foi sancionado nesta quinta-feira (28) pelo presidente Jair Bolsonaro, com quatro vetos.

Publicado

em

Governadoria do Rio Grande do Norte (arquivo) — Foto: Rayane Mainara
header ads

Com a sanção do governo federal à lei que prevê socorro financeiro de R$ 60 bilhões da União para recompor perdas de receitas dos estados e municípios, nesta quinta-feira (28), governo do estado e prefeituras do Rio Grande do Norte esperam receber cerca de R$ 792 milhões ao longo dos próximos quatro meses. Porém, estado e município afirmam que o valor é abaixo das perdas de arrecadação estimadas para o ano.

Segundo o secretário de Planejamento do estado, Aldemir Freire, são esperados R$ 442 milhões a título de recomposição da perda de arrecadação. “Esses recursos serão utilizados para bancar o custeio básico do Estado. Não são recursos a mais. Na verdade, caculamos que esse montante talvez não seja suficiente para cobrir todas as perdas ao longo do ano”, considera ele.

Outro valor de R$ 130 milhões que deverá ser enviado para a Saúde ainda é uma estimativa do estado. De acordo com ele, o governo federal ainda não confirmou o montante. “Esses recursos serão utilizados no enfrentamento da pandemia: pagar novos leitos (UTIs, semi intensivos e leitos clínicos), contratação de pessoal, respiradores, medicamentos, EPIs, etc”, ponderou, afirmando que o estado está contratando temporariamente mais de 3 mil servidores para a saúde.

Já a Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte estima que as prefeituras do estado vão receber aproximadamente R$ 350,2 milhões. Embora considere que o valor seja uma ajuda para manter os serviços básicos nas administrações locais, a entidade considerou que o auxílio não será suficiente para cobrir a queda de arrecadação das cidades potiguares, que deverá chegar a R$ 795,6 milhões até o fim de 2020, de acordo com o presidente da federação, o prefeito José Leonardo Casimiro de Araújo, conhecido como Naldinho, de São Paulo do Potengi.

A estima de perdas para o ano, de acordo com ele, leva em conta as perdas na quota-parte do ICMS, e em impostos municipais, como ISS, IPTU e ITBI, além da redução da participação no Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) e Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

O texto aprovado pelo Congresso no dia 6 de maio ainda suspende as dívidas de estados e municípios com a União, inclusive os débitos previdenciários parcelados pelas prefeituras que venceriam este ano. Esse ponto pode gerar um impacto de R$ 60 bilhões à União.

O repasse direto, em quatro parcelas, será dividido da seguinte forma:

  • R$ 50 bilhões em compensação pela queda de arrecadação (R$ 30 bilhões para estados e DF; R$ 20 bilhões para municípios);
  • R$ 10 bilhões para ações de saúde e assistência social (R$ 7 bilhões para estados e DF; R$ 3 bilhões para municípios).

Vetos

A Lei Complementar nº 173, estabelece o Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus SARS-CoV-2 (Covid-19). Ao sancionar o texto, o presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido) fez quatro vetos, que ainda poderão ser analisados pelos deputados e senadores:

  • Aumento a servidores: abertura de exceção para que servidores da saúde e segurança pública pudessem ter os salários reajustados. Com o veto, não haverá reajustes para nenhuma categoria do serviço público até o final do ano que vem. Segundo o governo, a manutenção do dispositivo retiraria quase 2/3 do impacto esperado para a restrição de crescimento de despesa com o pessoal;
  • Concursos públicos: vetada suspensão dos prazos de validade de concursos públicos homologados até 20 de março.Segundo o governo, o dispositivo fere o pacto federativo e a autonomia dos entes da federação;
  • Garantias e contragarantias: trecho proibia a União de executar garantias e contragarantias em caso de inadimplência em 2020. De acordo com o governo, se a proibição permanecesse, haveria o risco de o Brasil se tornar inadimplente perante o mercado doméstico e internacional;
  • Previdência: trecho previa a suspensão das parcelas relativas aos pagamentos dos financiamentos de dívidas dos Municípios com a Previdência. Governo afirma que o parágrafo é inconstitucional, porque o prazo suspenderia o limite de 60 meses.

Fonte: G1 RN
Por Igor Jácome, G1 RN 28/05/2020 14h02

Continue lendo

Rio Grande do Norte

RN fecha 13,1 mil vagas de trabalho de janeiro a abril

Dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e foi divulgado nesta quarta-feira (27) pelo Ministério da Economia.

Publicado

em

Empregos formais caíram no RN de janeiro até abril — Foto: Reprodução / TV Globo
header ads

O Rio Grande do Norte fechou 13.108 postos de trabalho com carteira assinada de janeiro a abril deste ano. Os números com maior queda aconteceram entre março e abril, após a pandemia do novo coronavírus: foram menos 10.305 vagas. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e foram divulgados nesta quarta-feira (27) pelo Ministério da Economia.

Desses mais de 10 mil empregos que deixaram de existir desde o início da pandemia, 8.303 deles foram apenas no mês de abril – em março foram 2.002. Como base de comparação, em abril de 2019 a redução foi de 501 vagas. Os números são calculados com base no número de contratações e de desligamentos.

O Rio Grande do Norte registrou em abril deste ano 4.389 admissões de profissionais com carteira assinada, mas teve 12.692 demissões. A cidade mais afetada com com as demissões foi Natal, que teve 2.089 contratações para 6.471 desligamentos. Ao todo, a capital potiguar perdeu 4.382 empregos no mês passado.

Queda dos postos de trabalho em abril de 2020

Locais Contratações Demissões Saldo Saldo em 2019
Rio Grande do Norte 4.389 12.692 -8.303 -501
Natal 2.089 6.471 -4.382 -223

Outras cidades que registraram quedas consideráveis nos postos de trabalho em abril foram Mossoró (-896), Parnamirim (-538), São Gonçalo do Amarante (-419), Macaíba (-244) e Tibau do Sul (-243).A pandemia levou governos de todo o Brasil a adotarem medidas de restrição e isolamento social para reduzir a velocidade do avanço da doença. Essas medidas exigiram o fechamento de grande parte do comércio no país.

O Ministério da Economia aponta ainda que o RN teve 83.901 empregos preservados entre abril e parte do mês de maio de 2020.

Números no ano

De janeiro a abril, o Rio Grande do Norte fechou 13.108 postos de trabalho. No mesmo período do ano passado, a redução no número de empregos foi de 5.927. Ao todo, neste ano os dados do Caged apontam que o estado teve 40.043 contratações para 53.151 desligamentos.

Os números colocam o RN como em 14º no ranking dos estados que mais tiveram impacto neste período – o sexto no Nordeste.

A capital Natal também foi quem registrou os números mais altos nesses quatro meses: foram 18.348 admissões para 24.433 desligamentos de vagas de trabalho com carteira assinada na cidade. Ao todo, a redução foi de 6.085 empregos. Em 2019, no mesmo período, esse número era de -201.

Queda dos postos de trabalho de janeiro a abril

Locais Contratações Demissões Saldo Saldo em 2019
Rio Grande do Norte 40.043 53.151 -13.108 -5.927
Natal 18.348 24.433 -6.085 -201
Mês Saldo
Janeiro -898
Fevereiro -1.905
Março -2.002
Abril -8.303
No Brasil, o mês de abril teve 860.503 postos de trabalho fechados, o pior resultado da série histórica da Secretaria Especial de Trabalho e Previdência do Ministério da Economia, que tem início em 1992.

– Foto: Reprodução/Reprodução

Fonte: G1 RN  27/05/2020 17h13

Continue lendo

Destaques