Conecte-se conosco

Entretenimento

‘The Walking Dead’ terminará 10ª temporada com um episódio a menos

Em comunicado emitido pela AMC, a emissora informou que o o episódio 16 não será exibido no dia 12 de abril

Publicado

em

Michonne se despede de 'The Walking Dead' na 10ª temporada - Foto: Reprodução/Divulgação
header ads

O último episódio da 10ª temporada de “The Walking Dead” terá sua exibição adiada por causa da pandemia de coronavírus.

Em comunicado emitido pela AMC, a emissora informou que o o episódio 16 não será exibido no dia 12 de abril, pois mesmo gravado os efeitos de pós-produção não ficaram prontos. Dessa forma, o décimo ano da série será encerrado uma semana antes, no dia 15 de abril.

“Infelizmente, os eventos atuais tornaram impossível concluir a pós-produção do final da 10ª temporada de ‘The Walking Dead’, então a temporada atual terminará com seu 15º episódio em 5 de abril”, diz o texto.

A AMC completou que o último episódio será exibido como um especial no final do ano, mas sem se comprometer com uma nova data.

Outra produção do canal e derivada da série de zumbis, “The Walking Dead: World Beyond” teve sua estreia postergada também por causa do coronavírus. O lançamento, que seria em abril, ainda não tem nova data prevista.

Fonte: Jovem Pan 25/03/2020 11h10

--Publicidade--
Clique para comentar

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Entretenimento

Tradução de ‘Memórias póstumas de Brás Cubas’ esgota em um dia nos EUA

O romance brasileiro de Machado de Assis teve a edição esgotada após um dia do lançamento

Publicado

em

O livro Memórias póstumas de Brás Cubas foi publicado originalmente no Brasil, em 1881 (foto: Reproduçao/Penguin Classics/ Divulgação)
header ads

O clássico romance Memórias póstumas de Brás Cubas, escrito por Machado de Assis, teve a nova tradução esgotada após um dia do lançamento. A edição chegou às livrarias estadunidenses na última terça-feira (3/6) e não está mais disponível no site da Amazon e na livraria Barnes & Noble, uma das maiores redes de livrarias do país.

A versão em inglês foi publicada pela editora Penguin e foi reverenciado pela crítica da revista New Yorker. Assinada por Flora Thomson-DeVeaux, a edição tem prefácio escrito pelo americano David Eggers, emq ue ele afirma que Memórias póstumas de Brás Cubas é um dos livros “mais espirituosos já escritos”.

Publicada em 1881, a obra narra a história de um defunto autor, Brás Cubas. Um homem da alta sociedade do Rio de Janeiro, que após a morte, decide escrever sobre as passagens mais importantes da vida dele.

Fonte: Correio Braziliense
postado em 04/06/2020 16:52

Continue lendo

Entretenimento

Louvre e Palácio de Versalhes ganham datas de reabertura

Museu e Palácio reabrirão as portas em 6 julho e 6 de junho, respectivamente, como parte da flexibilização gradual das medidas de isolamento na França

Publicado

em

Museu do Louvre, em Paris, na França - Foto: Reprodução/Pixabay/Pixabay
header ads

Como parte do plano de retorno gradual à normalidade, algumas instituições culturais da França anunciaram datas de reabertura. Entre elas, o Palácio de Versalhes, datado para o dia 6 de junho, e o Museu do Louvre, para 6 de julho.

Os anúncios das novas datas condizem com o comunicado do ministro da Cultura francês, Franck Riester, que dizia que museus e outros pontos turísticos históricos do país poderiam voltar a abrir suas portas entre o início de junho e meados de julho – a começar pela sumptuosa morada da família real de Luís XIV e pelo Castelo Chambord do Vale do Loire, este último no dia 5 de junho.

Entre as medidas sanitárias que tornaram as reaberturas possíveis, estão a obrigatoriedade do uso de máscaras e do distanciamento social. No caso do Louvre, museu mais visitado do mundo, foram instalados um sistema de agendamento de visitas para evitar aglomerações e novas sinalizações de segurança. A casa da Monalisa e da Vênus de Milo costuma receber milhões de visitantes anualmente: só em 2019, foram 9,6 milhões.

O número é ainda maior virtualmente: entre 12 de março e 22 de maio desse ano, enquanto o lockdown francês estava à todo vapor, o site do museu recebeu 10,5 milhões de visitas. Para se ter uma ideia, a quantidade de acessos em pouco mais de três meses é próxima ao recorde anual de 2019, de 14,1 milhões de visitas online. Mas o diretor do Louvre, Jean-Luc Martínez, ressalta a diferença entre o tour virtual e o presencial: “Ainda que fosse possível descobrir os tesouros do Louvre virtualmente durante o isolamento, nada substitui a emoção de estar diante de uma obra de arte, esta é a ‘raison d’être‘ [razão de ser] dos museus.”

O também parisiense museu de civilizações indígenas, Quai Branly, voltará a funcionar em 9 de junho, ao passo que o lar das famosas telas de Auguste Renoir e Vicent Van Gogh, o Museu de Orsay, voltará em 23 de junho. No dia primeiro do mês seguinte, também serão reabertos o Grand Palais, na Avenida Champs-Elysées, e o Centro Pompidou, ícone arquitetônico. O Museu Picasso, por sua vez, reabrirá na terceira semana de julho.

O movimento de reabertura na França segue de perto outros países europeus e asiáticos. Já foram abertos a Fundação Beyeler, instituição suíça responsável por expor as obras de Edward Hopper, a Galeria Nacional de Arte Moderna e Contemporânea, da Itália, e o Museu do Palácio, na China, com um elaborado sistema de QR Code que monitora os dados de saúde e histórico de viagens de cada visitante.

Fonte: Veja
Por Tamara Nassif – Atualizado em 29 maio 2020, 18h51 – Publicado em 29 maio 2020, 18h44

Continue lendo

Entretenimento

Gravações de ‘Missão impossível 7 e 8’ serão retomadas em setembro

As filmagens dos longas estavam paradas em decorrência da pandemia

Publicado

em

(foto: Reprodução/Missão Impossível 6/ Divulgação )
header ads

Após meses estagnados em decorrência da covid-19, as filmagens da franquia Missão impossível estão previstas para serem retomadas em setembro. Por conta disso, as sequências 7 e 8 serão gravadas simultaneamente. A informação é da revista Variety.

“Eles vão começar com as cenas externas, que se passam em lugares abertos. Parece bem fácil de se fazer, e obviamente teremos várias precauções no set”, contou o ator Simon Pegg ao portal.

Ao que tudo indica, até o momento, o sétimo longa chegará em 19 de novembro de 2021 e a oitava sequência em 4 de novembro de 2022 às salas de cinema.

Missão impossível 7

O longa Missão impossível 7 estava sendo gravado em Veneza, na Itália, quando ecoou a crise pandêmica no país. Assim, as gravações tiveram que ser suspensas.

“Num excesso de prevenção para a segurança e o bem-estar de nosso elenco e equipe, atendendo aos esforços do governo de Veneza para que sejam evitadas aglomerações, estamos alterando os planos de produção de nossas três semanas de filmagem em Veneza na primeira parte da extensa produção de Missão: Impossível 7″, informou a Paramount Pictures em um comunicado ao site The Hollywood Reporter.

Fonte: Correio Braziliense
postado em 02/06/2020 12:20

Continue lendo

Destaques