Conecte-se conosco

Paraíba

Farmacêutica de Patos é internada com sintomas de coronavírus em hospital de João Pessoa e morre aos 29 anos. Resultado dos exames sai na terça-feira

Publicado

em

header ads

A jovem farmacêutica patoense Vanessa Domingos, de 29 anos, que reside em João Pessoa, morreu na noite deste domingo 22, no Hospital HapVida, em João Pessoa.

Ela deu entrada no hospital no dia de ontem (sábado, 21) apresentando forte diarreia e problemas respiratórios, foi internada, seu estado se agravou e ela não resistiu.

Sua mãe, Magna Verusca, reside em Patos e trabalha no SESI. Ela está desesperada. A suspeita é de que a filha dela tenha morrido de coronavírus, mas o resultado só deverá sair na terça-feira, 24.

Veja o relato da mãe que circulou na parte da tarde nas redes sociais, antes do falecimento da filha: “Boa noite, passando para atualizar o quadro de minha filha Vanessa. Ela encontra internada na UIT ainda em situação grave e instável com um quadro evoluindo de insuficiência respiratória e renal (sepse pulmonar pelo covid- hipótese da equipe médica) mas já estão fazendo todos os procedimentos necessários. Ela está medicada para corona a hidroxicloroquina e azitromicina. Ela precisa ficar estável (pressão ainda muito baixa e oscilando além de outros sinais vitais) para fazer hemodiálise e a tomografia para aprofundar o diagnóstico. Amanhã sai o primeiro resultado de corona. Ela está em isolamento. Sigamos nas orações pela mesma para que tenha reação aos exames“.

Fonte: Folha Patoense – folhapatoense@gmail.com

--Publicidade--
Clique para comentar

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Paraíba

Custo da construção civil da Paraíba registra a maior alta do país em julho, indica o IBGE

Aumento foi de 2,25%, número bem maior do que a média nacional de 0,49% e do que a média nordestina de 0,50%.

Publicado

em

Taxa média do país se manteve praticamente estável, mas na Paraíba o aumento foi bem maior — Foto: Reprodução/NSC TV
header ads

O custo médio da construção na Paraíba, por metro quadrado, teve em julho um aumento de 2,25%, de acordo com o Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), divulgado pelo IBGE nesta sexta-feira (7). A variação representa a maior alta do país e ficou bem acima das observadas na média do Brasil (0,49%) e do Nordeste (0,50%).

Com o aumento, o custo médio, que era de R$ 1.122,64 em junho, passou para R$ 1.147,89 no último mês. O valor permaneceu como o segundo maior da região, atrás apenas do estado do Maranhão, com R$ 1.151,67, além de ter ficado acima da média nordestina (R$ 1.096,97). No cenário nacional – em que também houve alta, de 0,49% – o custo foi de R$ 1.181,41.

Essa variação no montante foi elevada pelo custo da mão de obra no estado, que aumentou de R$ 499, no mês anterior, para R$ 527,58, em julho. Por sua vez, a parcela formada pelos materiais, que representa a maior parte do custo, apresentou uma pequena queda nesse intervalo, passando de R$ 623,64 para R$ 620,31.

No acumulado de 12 meses, a Paraíba apresentou, em julho, a sétima maior variação do Brasil, de 4,6%, maior do que a média nacional (3,3%). No Nordeste, região em que essa variação foi de 3,45%, o percentual paraibano só foi menor do que o observado no estado do Ceará (5,4%).

Fonte: G1 PB 07/08/2020 17h28

Continue lendo

Paraíba

Quase três milhões de eleitores estão aptos a votar nas Eleições 2020 na Paraíba

João Pessoa, com 522 mil eleitores, e Campina Grande, com 285 mil eleitores, seguem como os principais colégios eleitorais do estado, conforme dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Publicado

em

Quase três milhões de paraibanos devem participar das Eleições 2020 — Foto: Roberto Jayme/TSE
header ads

Quase 3 milhões de eleitores, precisamente 2.966.759 de eleitores estão aptos a votar nas Eleições 2020 a serem realizadas em 15 de novembro deste ano. João Pessoa, com 522 mil eleitores, e Campina Grande, com 285 mil eleitores, seguem como os principais colégios eleitorais do estado, enquanto São João do Brejo do Cruz, com 2.032 eleitores, e Areia de Baraúna, que tem 2.106, são os menores.

Na lista chama a atenção o município de Parari, cidade menos populosa da Paraíba, que tem 2.176 eleitores aptos a votar este ano, embora a cidade contabilize apenas 1.771 moradores, segundo dados do IBGE de 2019.

Os dados atualizados do eleitorado brasileiro foram divulgados nesta quarta-feira (5) pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso. Eles revelam que no país são 147.918.483 eleitores brasileiros estão aptos a votar nas Eleições 2020, sendo que a Paraíba representa apenas 2% desse total. O

Repositório de Dados Eleitorais (RDE) bem como a página com as estatísticas do eleitorado ficarão disponíveis com a atualização na próxima sexta-feira (7).

Confira o eleitorado da Paraíba por município:

  • ÁGUA BRANCA – 7.565
  • AGUIAR – 4.736
  • ALAGOA GRANDE – 21.480
  • ALAGOA NOVA – 15.326
  • ALAGOINHA – 11.325
  • ALCANTIL – 4.476
  • ALGODÃO DE JANDAÍRA – 2.915
  • ALHANDRA – 17.736
  • AMPARO – 2.592
  • APARECIDA – 6.532
  • ARAÇAGI – 13.619
  • ARARA – 8.608
  • ARARUNA – 13.127
  • AREIA – 17.947
  • AREIA DE BARAÚNAS – 2.106
  • AREIAL – 5.754
  • AROEIRAS – 15.149
  • ASSUNÇÃO – 3.865
  • BAÍA DA TRAIÇÃO – 7.074
  • BANANEIRAS – 17.139
  • BARAÚNA – 4.254
  • BARAÚNA – 4.254
  • BARRA DE SANTA ROSA – 10.397
  • BARRA DE SANTANA – 7.220
  • BARRA DE SÃO MIGUEL – 5.452
  • BAYEUX – 71.288
  • BELÉM – 12.899
  • BELÉM DO BREJO DO CRUZ – 6.209
  • BERNARDINO BATISTA – 2.963
  • BOA VENTURA – 5.298
  • BOA VISTA – 5.921
  • BOM JESUS – 2.980
  • BOM SUCESSO – 4.323
  • BONITO DE SANTA FÉ – 7.439
  • BOQUEIRÃO – 14.321
  • BORBOREMA – 4.516
  • BREJO DO CRUZ – 9.863
  • BREJO DOS SANTOS – 5.699
  • CAAPORÃ – 16.126
  • CABACEIRAS – 4.734
  • CABEDELO – 48.731
  • CACHOEIRA DOS ÍNDIOS – 7.499
  • CACIMBA DE AREIA – 3.697
  • CACIMBA DE DENTRO – 13.510
  • CACIMBAS – 5.968
  • CAIÇARA – 6.080
  • CAJAZEIRAS – 44.421
  • CAJAZEIRINHAS – 3.733
  • CALDAS BRANDÃO – 5.114
  • CAMALAÚ – 5.870
  • CAMPINA GRANDE – 285.020
  • CAPIM – 6.608
  • CARAÚBAS – 4.111
  • CARRAPATEIRA – 2.302
  • CASSERENGUE – 5.848
  • CATINGUEIRA – 5.168
  • CATOLÉ DO ROCHA – 20.346
  • CATURITÉ – 4.688
  • CONCEIÇÃO – 13.911
  • CONDADO – 5.372
  • CONDE – 20.823
  • CONGO – 4.972
  • COREMAS – 11.738
  • COXIXOLA – 1.829
  • CRUZ DO ESPÍRITO SANTO – 15.427
  • CUBATI – 6.269
  • CUITÉ – 16.338
  • CUITÉ DE MAMANGUAPE – 7.048
  • CUITEGI – 5.781
  • CURRAL DE CIMA – 5.682
  • CURRAL VELHO – 2.281
  • DAMIÃO – 4.450
  • DESTERRO – 7.098
  • DIAMANTE – 5.601
  • DONA INÊS – 8.730
  • DUAS ESTRADAS – 3.494
  • EMAS – 3.283
  • ESPERANÇA – 24.253
  • FAGUNDES – 9.597
  • FREI MARTINHO – 2.745
  • GADO BRAVO – 7.102
  • GUARABIRA – 41.065
  • GURINHÉM – 11.141
  • GURJÃO – 3.087
  • IBIARA – 5.491
  • IGARACY – 5.710
  • IMACULADA – 8.655
  • INGÁ – 14.353
  • ITABAIANA – 18.392
  • ITAPORANGA – 16.715
  • ITAPOROROCA – 12.902
  • ITATUBA – 8.158
  • JACARAÚ – 13.408
  • JERICÓ – 6.668
  • JOÃO PESSOA – 522.269
  • JOCA CLAUDINO – 2.603
  • JUAREZ TÁVORA – 7.155
  • JUAZEIRINHO – 13.008
  • JUNCO DO SERIDÓ – 5.409
  • JURIPIRANGA – 9.175
  • JURU – 7.456
  • LAGOA – 4.742
  • LAGOA DE DENTRO – 7.119
  • LAGOA SECA – 19.729
  • LASTRO – 4.249
  • LIVRAMENTO – 5.790
  • LOGRADOURO – 3.919
  • LUCENA – 12.095
  • MÃE D’ÁGUA – 3.838
  • MALTA – 5.046
  • MAMANGUAPE – 30.923
  • MANAÍRA – 8.323
  • MARCAÇÃO – 6.476
  • MARI – 16.375
  • MARIZÓPOLIS – 5.916
  • MASSARANDUBA – 11.458
  • MATARACA – 8.586
  • MATINHAS – 4.457
  • MATO GROSSO – 3.078
  • MATURÉIA – 5.364
  • MOGEIRO – 10.240
  • MONTADAS – 4.712
  • MONTE HOREBE – 3.875
  • MONTEIRO – 24.515
  • MULUNGU – 8.625
  • NATUBA – 6.310
  • NAZAREZINHO – 6.582
  • NOVA FLORESTA – 7.684
  • NOVA OLINDA – 5.570
  • NOVA PALMEIRA – 3.307
  • OLHO D’ÁGUA – 6.857
  • OLIVEDOS – 3.908
  • OURO VELHO – 2.726
  • PARARI – 2.176
  • PASSAGEM – 2.562
  • PATOS – 63.933
  • PAULISTA – 9.696
  • PEDRA BRANCA – 3.858
  • PEDRA LAVRADA – 5.798
  • PEDRAS DE FOGO – 22.796
  • PEDRO RÉGIS – 5.317
  • PIANCÓ – 12.524
  • PICUÍ – 14.475
  • PILAR – 9.612
  • PILÕES – 6.728
  • PILÕEZINHOS – 5.012
  • PIRPIRITUBA – 7.450
  • PITIMBU – 11.401
  • POCINHOS – 13.491
  • POÇO DANTAS – 3.859
  • POÇO DE JOSÉ DE MOURA – 3.837
  • POMBAL – 24.669
  • PRATA – 4.002
  • PRINCESA ISABEL – 15.398
  • PUXINANÃ – 11.373
  • QUEIMADAS – 33.190
  • QUIXABA – 2.153
  • REMÍGIO – 13.655
  • RIACHÃO – 3.181
  • RIACHÃO DO BACAMARTE – 4.259
  • RIACHÃO DO POÇO – 4.267
  • RIACHO DE SANTO ANTÔNIO – 2.315
  • RIACHO DOS CAVALOS – 7.479
  • RIO TINTO – 17.322
  • SALGADINHO – 3.284
  • SALGADO DE SÃO FÉLIX – 9.382
  • SANTA CECÍLIA – 6.185
  • SANTA CRUZ – 5.519
  • SANTA HELENA – 5.539
  • SANTA INÊS – 3.702
  • SANTA LUZIA – 11.378
  • SANTA RITA – 94.595
  • SANTA TERESINHA – 5.385
  • SANTANA DE MANGUEIRA – 4.383
  • SANTANA DOS GARROTES – 6.137
  • SANTO ANDRÉ – 2.859
  • SÃO BENTINHO – 3.673
  • SÃO BENTO – 25.855
  • SÃO DOMINGOS – 3.080
  • SÃO DOMINGOS DO CARIRI – 3.044
  • SÃO FRANCISCO – 3.981
  • SÃO JOÃO DO CARIRI – 4.250
  • SÃO JOÃO DO RIO DO PEIXE – 13.477
  • SÃO JOÃO DO TIGRE – 3.766
  • SÃO JOSÉ DA LAGOA TAPADA – 6.439
  • SÃO JOSÉ DE CAIANA – 5.107
  • SÃO JOSÉ DE ESPINHARAS – 4.150
  • SÃO JOSÉ DE PIRANHAS – 14.633
  • SÃO JOSÉ DE PRINCESA – 3.125
  • SÃO JOSÉ DO BONFIM – 3.780
  • SÃO JOSÉ DO BREJO DO CRUZ – 2.032
  • SÃO JOSÉ DO SABUGI – 3.903
  • SÃO JOSÉ DOS CORDEIROS – 3.304
  • SÃO JOSÉ DOS RAMOS – 5.323
  • SÃO MAMEDE – 6.640
  • SÃO MIGUEL DE TAIPU – 5.958
  • SÃO SEBASTIÃO DE LAGOA DE ROÇA – 8.534
  • SÃO SEBASTIÃO DO UMBUZEIRO – 3.077
  • SÃO VICENTE DO SERIDÓ – 8.738
  • SAPÉ – 34.693
  • SERRA BRANCA – 10.055
  • SERRA DA RAIZ – 2.917
  • SERRA GRANDE – 3.196
  • SERRA REDONDA – 6.056
  • SERRARIA – 4.304
  • SERTÃOZINHO – 4.157
  • SOBRADO – 6.738
  • SOL NEA – 20.600
  • SOLEDADE – 10.876
  • SOSSÊGO – 3.206
  • SOUSA – 45.115
  • SUMÉ – 12.965
  • TACIMA – 7.288
  • TAPEROÁ – 10.756
  • TAVARES – 11.172
  • TEIXEIRA – 11.353
  • TENÓRIO – 2.763
  • TRIUNFO – 7.236
  • UIRAÚNA – 11.284
  • UMBUZEIRO – 6.497
  • VÁRZEA – 2.537
  • VIEIRÓPOLIS – 4.876
  • VISTA SERRANA – 3.069
  • ZABELÊ – 2.320

Fonte: G1 PB 06/08/2020 12h42

Continue lendo

Paraíba

João Pessoa responde por 32% do PIB da PB, tem 17 mil empresas e índice de emprego em 61%

Números são de diferentes pesquisas realizadas entre 2017 e 2019 e divulgadas nesta terça-feira (4) pelo IBGE em homenagem ao aniversário da capital paraibana.

Publicado

em

Setor da construção foi o que mais cresceu em João Pessoa, mas o de serviço público e comércio é o que mais emprega — Foto: Krys Carneiro/G1
header ads

João Pessoa responde por aproximadamente 32% do Produto Interno Bruto (PIB) da Paraíba e se consolida como a cidade que mais colabora com os números estaduais. Além disso, a capital paraibana tem 17,7 mil empresas e 61,6% da população acima de 14 anos com algum tipo de trabalho remunerado. Os diferentes números foram coletados de pesquisas realizadas entre 2017 e 2019, mas só compilados e divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira (4), como forma de homenagear a cidade pelo seu aniversário de 435 anos, que acontece nesta quarta-feira (5).

Com relação aos empregos, os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua de 2019. Do total da população dentro do mercado de trabalho, 68,8% atuavam como empregados, 24,1% trabalhavam por conta própria, 5,6% eram empregadores e 1,5% formavam a categoria de trabalhador familiar auxiliar. Em sentido contrário, a taxa de desocupação girava em 12,1%.

O setor que mais emprega é o de servidores públicos, que respondem por 82,6 mil vagas de empregos. Outras 45,1 mil vagas são do setor de comércio e de reparação de veículos, 30,9 mil são de saúde humana e serviços sociais e 27,9 mil são de atividades administrativas e serviços complementares.

No que diz respeito ao PIB, a cidade tinha em 2017 o 43º maior entre todos os mais de cinco mil municípios brasileiros, tendo melhorado onze posições num intervalo de dez anos. Neste montante, o setor de comércio e de prestação de serviços era o que mais colaborava com o desempenho local, respondendo por 59,7% do total.

Já o PIB per capita, que é a divisão do valor total com o da população da cidade, o de João Pessoa estava fixado em R$ 24,3 mil.

O IBGE tratou também das empresas pessoenses, segundo dados do Cadastro Central de Empresas. Em 2017, a cidade tinha aumentado 24,4% o montante existente dez anos antes. Das 17,7 mil empresas e outras organizações formais da cidade, aliás, 31,8% eram provenientes de atividades econômicas de comércio ou reparação de veículos automotores e motocicletas. Enquanto que o ramo de atividades administrativas e serviços complementares ocupava a segunda colocação, com 16,7%.

Apesar disso, o setor que mais cresceu na série história de dez anos foi o da construção civil, que pulou de 5% para 10,3%.

Fonte: G1 PB 04/08/2020 17h29

Continue lendo

Destaques