Home > Política > ‘Não podemos deixar que desespero leve o Brasil a uma aventura fascista’, diz Lula

‘Não podemos deixar que desespero leve o Brasil a uma aventura fascista’, diz Lula

A quatro dias do segundo turno, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) divulgou carta em que pede a união dos democratas em torno da candidatura de seu afilhado político, Fernando Haddad (PT), e diz que “o desespero” não pode levar o Brasil a uma “aventura fascista”.

Preso há quase sete meses em Curitiba, o ex-presidente não cita nominalmente Jair Bolsonaro (PSL) como o foco dessa ameaça, mas faz um chamado aos atores políticos do “campo democrático” e afirma que, se há divergências entre eles, é preciso enfrentá-las “por meio do debate” para derrotar o adversário do petista.

“Se há divergências entre nós, vamos enfrentá-las por meio do debate, do argumento, do voto. Não temos o direito de abandonar o pacto social da Constituição de 1988. Não podemos deixar que o desespero leve o Brasil na direção de uma aventura fascista, como já vimos acontecer em outros países ao longo da história”, escreveu Lula em carta divulgada nesta quarta-feira (24).

Lula afirma ainda que a reta final do segundo turno, na qual Bolsonaro lidera as pesquisas com vantagem de pelo menos 14 pontos sobre Haddad, segundo pesquisa Ibope desta terça (23), aponta para a “ameaça de um enorme retrocesso” e que é preciso se unir para tentar vencer o capitão reformado.

“É o momento de unir o povo, os democratas, todos e todas em torno da candidatura de Fernando Haddad, para retomar o projeto de desenvolvimento com inclusão social e defender a opção do Brasil pela democracia”, diz o ex-presidente, que completa pedindo voto para Haddad.

“Neste momento, acima de tudo está o futuro do país, da democracia e do nosso povo. É hora de votar em Fernando Haddad, que representa a sobrevivência do pacto democrático, sem medo e sem vacilações.”

Desde o início do segundo turno, o candidato do PT ao Planalto tenta construir uma frente democrática contra Bolsonaro, com políticos como Ciro Gomes (PDT), Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e Joaquim Barbosa (PSB), mas não conseguiu apoio explícito de nenhum deles.

Marina Silva (Rede) e o PDT, de Ciro, declararam “apoio crítico” à candidatura de Haddad e pedem que o PT reconheça erros.

Na carta, Lula faz uma espécie de reflexão sobre o sentimento antipetista que impulsionou a candidatura de Bolsonaro -e de diversos governadores e parlamentares apoiados por ele pelo país-, mas não faz nenhuma autocrítica sobre os equívocos do PT e apenas lista realizações de seu governo -e de sua sucessora, Dilma Rousseff, que sofreu impeachment em 2016- como forma retórica de explicar o ódio ao partido.

“Minha maior preocupação é com o sofrimento do povo, que só vai aumentar se o candidato dos poderosos e dos endinheirados for eleito. Mas fico pensando, todos os dias: por que tanto ódio contra o PT?”, questiona.

“Será que nos odeiam porque tiramos 36 milhões de pessoas da miséria e levamos mais de 40 milhões à classe média? Porque tiramos o Brasil do Mapa da Fome? Porque criamos 20 milhões de empregos com carteira assinada, em 12 anos, e elevamos o valor do salário mínimo em 74%? Será que nos odeiam porque fortalecemos o SUS, criamos as UPAS e o SAMU que salvam milhares de vidas todos os dias?”, completa.

Lula voltou a dizer que foi condenado e preso injustamente e que, em seu governo, construiu relação “de confiança” com os mais pobres, mas também “com os setores mais responsáveis da sociedade brasileira”.

F: Paraiba Online

Sobre Francisco Marcos Ferreira

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
x

Veja Também

Folha de SP diz que deputado uiraunense é o 2º maior devedor da União

Uma reportagem publicada pelo site Estadão, nesta segunda-feira (05), mostra que o deputado federal eleito pela Paraíba, Wilson Santiago (PTB), ...