Sem água da transposição, comerciantes da PB viajam até 200 km em busca de frutas


Sem boas colheitas há pelo menos cinco anos e vendo plantações se perderem por causa da seca, tem sido difícil para os comerciantes do Cariri paraibano conseguir produtos para vender. Eles têm viajado para outras regiões e até para outros estados em busca de frutas, verduras e legumes. Em meio à escassez, a chegada das águas da Transposição do Rio São Francisco alimenta a esperança de que o Cariri volte a produzir e as viagens de até 200 quilômetros não sejam mais necessárias.

O comerciante Wilson da Silva Ferreira, 47 anos, tem uma banca no mercado público da cidade de Monteiro, no Cariri paraibano. Sem produtos na região, ele viajar todas as semanas para comprar frutas, verduras e legumes. “As frutas a gente pega de Caruaru [Pernambuco] e Campina Grande [Paraíba] porque essa fruta vem geralmente de Petrolina [Pernambuco]. Aqui na região da gente só tem tomate, pimentão, essas coisas”, diz. Monteiro fica a 172 quilômetros de Campina Grande, no Agreste paraibano, e a 187 quilômetros de Caruaru, em Pernambuco.
Estiagem afeta preço e qualidade

A necessidade de comprar produtos em outros lugares e a escassez acabaram refletindo no custo dos alimentos. “Com certeza aumenta o preço dos alimentos em geral. A seca contribui pra isso. Como está seco, a fruta fica mais escassa, mais difícil. O tomate está caro, o pimentão, o cheiro verde, alface, uva, goiaba, tudo está caro”, relata o comerciante.


Além da dificuldade de encontrar os produtos, por causa da seca o comerciante conta que a qualidade dos alimentos também tem diminuído. Na feira, os clientes também reclamam que as frutas não estão tão boas quanto antes.

Wilson da Silva estava em Monteiro, quando a água chegou no dia 8 de março deste ano. Para ele, o canal vai trazer na água a esperança de que o Cariri volte a produzir.

A tranposição

A água da transposição do Rio São Francisco chega a cidade de Monteiro, na Paraíba, através do eixo leste. Neste trecho, a água é captada na cidade de Petrolândia, no Sertão de Pernambuco e viajar por 208 quilômetros até chegar a cidade paraibana. As águas chegaram a Monteiro, no dia 8 de março deste ano. Em menos de um mês, o primeiro açude a receber as águas já começou a sangrar.

A água captada do Rio São Francisco passa por seis estações elevatórias de água, cinco aquedutos, 23 segmentos de canais e ainda 12 reservatórios. A intenção da criança dos reservatórios é beneficiar as comunidades onde foram construídos e também garantir que a água não pare de correr pelos canais, caso seja necessário fazer algum reparo no trecho.

Os 12 reservatórios são: Areais, Braúnas (o maior deles, com capacidade para mais de 14 milhões de metros cúbicos de água), Mandantes, Salgueiro (5,2 milhões de m³), Muquem, Cacimba Nova, Bagres, Copití, Moxotó, Barreiro, Campos (o segundo maior com 8 milhões de m³) e Barro Branco.

Fonte: Redação do Portal Vale do Piancó Notícias com G1

Share this:

Postar um comentário

 
Copyright © UIRAÚNA EM FOCO. Designed by OddThemes & Distributed by Blogger Templates