Header Ads

Header ADS

Comerciante é preso com arsenal de munições no interior da Paraíba


A Polícia Civil da Paraíba, por meio da Delegacia de Picuí, que faz parte da 13ª Delegacia Seccional, desencadeou, na manhã desta sexta feira (28), na cidade de Picuí, no Seridó paraibano, a Operação ‘HAN’, que teve como objetivo coibir o comércio ilegal de armas de fogo e munições na região. Durante a ação, a polícia prendeu o comerciante Maurílio Lucena de Araújo, 54 anos, e apreendeu projéteis de armas de fogo e acessórios usados para fabricação de munições.

A operação foi motivada por uma ligação feita para o número 197 Disque Denúncia da Secretaria de Estado da Segurança e da Defesa Social (Sesds). Segundo a ligação anônima, um homem conhecido como Neném dos Couros estaria vendendo ilegalmente munições e materiais como espoleta, pólvora e cartuchos vazios no comércio dele, e, de acordo com a pessoa, para não levantar suspeitas, o comerciante guardava o material no estoque da loja entre os produtos legais.

A partir dessa informação, os policiais iniciaram as investigações e encontraram a loja do suspeito, um comércio tradicional, localizado na avenida principal da cidade, que oferece para os clientes materiais de caça, pesca e couro. Com a identificação, foi pedido um mandado de busca e apreensão que foi expedido pela Justiça e cumprindo. No local, os policiais encontraram munições de vários calibres, entre eles 380, 38, 12 e materiais para fazer munições artesanais. O material estava embaixo do balcão na entrada da loja e no estoque guardado em caixas de papelão.

Com a descoberta do material, o comerciante foi preso em flagrante e os policiais seguiram até a casa dele, onde foram encontradas em um quarto que fica anexo da residência mais munições e material para recarga. “Os nossos levantamentos mostram que o comerciante estaria vendendo munições para os criminosos da região, já que vendia o material para todos que procuravam a loja, inclusive recebemos denúncias por meio do 197 de que os criminosos presos nos últimos dias pela prática de homicídios na cidade compraram as munições a Neném do Couro”, falou o delegado Rodrigo Monteiro.

O material encontrado na residência e no comércio de Maurílio é bastante explosivo e colocava em risco a vida dos moradores da área. Durante depoimento ele informou que comprou o arsenal na cidade Campina Grande a uma pessoa que veio de Caruaru, em Pernambuco. O crime praticado pelo comerciante não cabe fiança e ele foi autuado por comércio ilegal de munições e acessórios. Maurílio será apresentado ao Juiz na audiência de custódia.

Operação HAN - A operação recebeu este nome em alusão à dinastia HAN, período no qual a pólvora foi descoberta.

Fonte: Repórter PB

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.