Vaqueiros da PB vão liderar protesto em Brasília e cobrar legalização da vaquejada


Mais de 500 vaqueiros, com seus respectivos cavalos, e uma estimativa de um comboio de 100 caminhões, participam no próximo dia 25 de uma manifestação na Esplanada dos Ministérios, em Brasília (DF). Eles vão pressionar os senadores a aprovar um projeto de lei que tramita no Congresso e que reconhece o rodeio e a vaquejada como patrimônio imaterial artístico e cultural do país. Confira abaixo vídeo do Portal com a cobertura da manifestação da categoria realizada nesta terça-feira (11).

Na prática, o projeto regulamenta essas competições em todo o país. A ideia da manifestação, como a realizada nesta terça, partiu de entidades paraibanas. Em Brasília, nomes como Ivete Sangalo e Mano Walter, além de grupos como Arreio de Ouro e Mastruz com Leite são esperados, em defesa da regulamentação da vaquejada. 

Em entrevista ao programa 27 Segundos, da RCTV (emissora por assinatura do Sistema Correio de Comunicação), o presidente da Associação dos Vaqueiros Amadores da Paraíba, Walter Trigueiro Júnior, um dos organizadores dos protestos desta terça em João Pessoa, a ideia se espalhou por grupos de WhatsApp e ganhou toda a região Nordeste. Em mais de 120 cidades foram registradas manifestações em apoio à vaquejada e contra a decisão do Supremo Tribunal Federal, que considerou inconstitucional uma lei do Ceará que regulamentava a competição.

Na Assembleia Legislativa da Paraíba foi realizada uma audiência pública, quando vários deputados manifestaram apoio às vaquejadas. A manifestação, segundo os organizadores, reuniu cerca de 500 vaqueiros com os seus cavalos. 

Na Paraíba, cerca de 100 mil pessoas estão ligadas direta ou indiretamente à vaquejada. Numa competição como a da Maria da Luz, há uma movimentação de R$ 3 a R$ 4 milhões, de acordo com os dados de Trigueiro. A vaquejada começa na quinta-feira (13) e vai até o domingo. Esta vaquejada é um das etapas do campeonato nacional. Já foram solicitadas mais de 1,3 mil senhas, que garantem a inscrição para a competição. 

Apesar da declaração de inconstitucionalidade da lei do Ceará, o que para muitos juristas dá repercussão nacional, proibindo a realização de vaquejadas, está mantido na íntegra o calendário dessas competições no território paraibano, até o final do ano. Em todos os finais de semana ocorrerão vaquejadas em diferentes municípios do estado. 

Walter Trigueiro disse que cinco mil vaquejadas são realizadas em todo o Brasil. "São mais de 700 mil famílias que dependem das vaquejadas. Em momento algum tivemos conhecimento sobre pesquisa que o Supremo tenha realizado sobre a vaquejada", observou. 

Os 100 caminhões devem sair da Paraíba no dia 22, em direção à Brasília. "Os caminhões sairão em comboio da Paraíba e, em cada estado que passarem, receberão adesão dos participantes de vaquejadas", disse Trigueiro Júnior. Na opinião deles, vaqueiros nordestinos receberam a decisão do STF como mais uma discriminação contra a região.

No Senado Federal tramita o projeto de lei que eleva o rodeio e a vaquejada, bem como as respectivas expressões artístico-culturais, à condição de manifestação cultural nacional e de patrimônio cultural imaterial. O projeto é de autoria do deputado federal Capitão Augusto (PR-SP). Já tramita na Comissão de Cultura e Esportes do Senado, tendo como relator o senador Otto Alencar (PSD-BA). A comissão é presidida pelo senador Romário (PSB-RJ). Dos paraibanos, tem apenas o senador Raimundo Lira (PMDB). 

Confira vídeo do Portal:


Fonte: Portal Correio

Compartilhe esta noticia:

Postar um comentário

 
Copyright © UIRAÚNA EM FOCO. Designed by Rafael Matias