Raimundo Lira vota contra perda dos direitos políticos de Dilma



Após votar a favor da cassação do mandato de Dilma Rousseff (PT), o senador Raimundo Lira (PMDB) votou contra inabilitá-la a exercer cargos públicos. Além de Lira, outras 35 senadores votaram pela manutenção dos direitos políticos da petista.
O resultado da votação mostrou que 16 senadores decidiram destituir Dilma do cargo, mas não inabilitá-la a exercer cargos públicos. Lira foi presidente da Comissão Especial que analisou o processo de impeachment no Senado.
Com os votos dos senadores paraibanos Cássio Cunha Lima (PSDB), José Maranhão (PMDB) e Raimundo Lira (PMDB), o Senado Federal confirmou, nesta quarta-feira (31), por 61 votos a 20, o afastamento da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).
Dilma, afastada do cargo desde maio, foi condenada no processo de impeachment por ter cometido crimes de responsabilidade na condução financeira do governo.
Veja os senadores que votaram a favor da cassação e contra a inabilitação:
Acir Gurgacz (PDT-RO)
Antonio Carlos Valadares (PSB-SE)
Cidinho Santos (PR-MT)
Cristovam Buarque (PPS-DF)
Edison Lobão (PMDB-MA)
Eduardo Braga (PMDB-AM)
Hélio José (PMDB-DF)
Jader Barbalho (PMDB-PA)
João Alberto Souza (PMDB-MA)
Raimundo Lira (PMDB-PB)
Renan Calheiros (PMDB-AL)
Roberto Rocha (PSB-MA)
Rose de Freitas (PMDB-ES)
Telmário Mota (PDT-RR)
Vicentinho Alves (PR-TO)
Wellington Fagundes (PR-MT)
Três senadores que votaram “sim” pelo afastamento definitivo se abstiveram na segunda votação: 
Eunício Oliveira (PMDB-CE)
Maria do Carmo Alves (DEM-SE)
Valdir Raupp (PMDB-RO)
MaisPB

Compartilhe esta noticia:

Postar um comentário

 
Copyright © UIRAÚNA EM FOCO. Designed by Rafael Matias