Vasco empata com Coritiba e cai para a Série B pela 3ª vez

O sonho vascaíno de escapar do rebaixamento teve fim neste domingo. O time não conseguiu sair de um empate sem gols com o Coritiba, no Couto Pereira, e teve decretada a terceira queda de sua história à Série B . A equipe, que já havia ido para a segunda divisão em 2008 e 2013, não escaparia da degola nem se tivesse vencido o jogo. Isso porque o Figueirense derrotou o Fluminense por 1 a 0, no Orlando Scarpelli, e escapou da queda nesta 38ª rodada do Brasileirão. Além do Cruz-Maltino, foram rebaixados Avaí , Goiás e Joinville.
vasco-segundona-2016
Dentro de campo, o Vasco não produziu o suficiente para ameaçar a defesa do Coritiba e facilitou a vida do rival. O time carioca abusou dos erros de passe e conclusão e não soube se adaptar ao gramado do Couto Pereira após a forte chuva que caiu em Curitiba. Com 41 pontos, na 18ª colocação, o time se despede da primeira divisão com dez vitórias, 11 empates e 17 derrotas. O saldo de gols final da equipe foi de -26.
Já o Coritiba, que passou boa parte do campeonato brigando contra o rebaixamento, conseguiria se salvar mesmo com a derrota. O time terminou a competição nacional na 15ª posição, com 44 pontos.
O Jogo – O duelo entre Coritiba e Vasco contrariou a recomendação da CBF, teve seu início retardado e começou minutos depois dos demais jogos da rodada. Como em qualquer decisão, os times gastaram boa parte do primeiro tempo estudando um ao outro. Nas raras chances de gol, os atacantes de ambas as equipes falharam na hora da conclusão. Aos 14 minutos, Nenê tomou a dianteira dos marcadores após desvio de cabeça de Riascos e tentou tirar do alcance de Wilson. O goleiro, no entanto, cresceu para cima do vascaíno e praticou a defesa.
A perda do gol não foi o pior momento do Cruz-Maltino na etapa inicial. Aos 27, Diguinho sentiu uma lesão e pediu para ser substituído. O treinador Jorginho, que optou por promover a estreia do jovem Mateus Pet, viu o esquema tático que estudou durante a semana ruir com a alteração. O Vasco piorou dentro de campo e permitiu que o Coxa chegasse pela primeira vez com perigo. Aos 31 minutos, Juan fez boa jogada na frente e deixou Henrique Almeida em condições claras de anotar o gol, mas o atacante optou por chutar com o pé esquerdo e mandou para fora.
Veja a comparação da situação deste ano com as dos anos que o Vasco caiu
Esta é a terceira vez que o Vasco chega na última rodada do Campeonato Brasileiro com chances de ser rebaixado. Nas outras duas, em 2008 e 2013, o cenário acabou sendo desfavorável ao Cruz-Maltino, que não conseguiu o resultado necessário e teve a queda confirmada para a Segunda Divisão. Em 2015, todos acreditam que será diferente, embora, assim como nos outros anos, a equipe não dependa só das próprias forças.
No primeiro rebaixamento, em 2008, o Vasco chegou na última rodada com a necessidade de vencer o Vitória, em São Januário, e torcer por tropeços do Atlético-PR contra o Flamengo, na Arena da Baixada, e do Figueirense com o Internacional, no Orlando Scarpelli. Mas deu tudo errado. Afinal, o Cruz-Maltino perdeu por 2 a 0 e os dois adversários venceram seus jogos.
Cinco anos mais tarde, nova queda para a Série B, e mais uma combinação complicada de resultados para tentar se livrar. Se vencesse o Atético-PR, fora de casa, teria que torcer por um destes três resultados: tropeço do Coritiba contra o São Paulo, fora, do Criciúma contra o Botafogo, fora, ou do Inter contra a Ponte, em casa. O Vasco, porém, perdeu de 5 a 1, na Arena Joinville.
Em 2015, a combinação é um pouco parecida com as dos anos anteriores, afinal, o Cruz-Maltino não depende só de si. Para se manter na Série A, terá que ganhar do Coritiba, neste domingo, no Couto Pereira, e torcer por tropeços do Figueirense, contra o Fluminense, no Orlando Scarpelli, e Avai, diante do Corinthians, na Arena Corinthians. Todos os jogos são no mesmo horário: 17h.

UOL

Compartilhe esta noticia:

Postar um comentário

 
Copyright © UIRAÚNA EM FOCO. Designed by Rafael Matias