Sousense conta momentos de horror vividos nos atentados de Paris; Vídeo

566565565656565665Momentos de apreensão e medo viveu o sousense Flávio Capitulino, famoso restaurador de arte que mora em Paris, na França há quase trinta anos. Ele viu de perto os ataques terroristas que deixaram até o momento 129 mortos, 350 feridos, dentre eles 99 em estado grave.
Flávio mora perto do local onde foram feitas mais vítimas nos atentados, a casa de shows Bataclan Concert Hall, outros cincos pontos em Paris também sofreram ataques que foram orquestrados e aconteceram quase ao mesmo tempo.
Ele afirmou que inicialmente, achou o barulho normal por se tratar de uma sexta-feira e a barulho das bombas se confundiu com rojões, já que na mesma hora acontecia um jogo amistoso entre a seleção da França e a Alemanha.
“Desci para um restaurante japonês que tem aqui em baixo e na hora que eu abri a porta tinha um rapaz estirado no chão e os policiais me mandaram subir, quando eu subi fiquei apavorado sem saber o que estava acontecendo, o pessoal gritava de um lado, gritava de outro, então fiquei de um lado pra outro correndo sem saber o que fazer, aquela cena terrível”, contou o renomado restaurador. Os familiares de Flávio Capitulino residem no perímetro irrigado de São Gonçalo.
A partir desta segunda-feira (16) o comércio local, escolas e universidades, bem como pontos turísticos serão reabertos e a cidade tentará tomar a normalidade depois da pior sequencia de ataques terrorista s de sua história.
O presidente Michel Hollande disse à imprensa que a guerra contra o Estado Islâmico, grupo terrorista responsável pelos atentados, será implacável, tanto que, na noite de ontem, muitas bombas foram detonadas por caças franceses em alvos do EI na Síria.
Folha do Sertão

Compartilhe esta noticia:

Postar um comentário

 
Copyright © UIRAÚNA EM FOCO. Designed by Rafael Matias