Diretor de hospital universitário nega sexo entre funcionários em Cajazeiras

1014944_1611590859062922_848302536924671503_o-400x225O delegado da Seccional de Polícia Civil de Cajazeiras, George Wellington revelou, nesse sábado (14), que os funcionários do Hospital Universitário Júlio Bandeira de Cajazeiras registraram Boletim de Ocorrência na delegacia local sobre a suposta prática de sexo dentro da unidade hospitalar.
Segundo o delegado, por ser de responsabilidade da Universidade Federal de Campina Grande, o caso será remetido a Polícia Federal para investigação. “Foi registrada uma ocorrência na delegacia, mas será encaminhada, pela legislação para Polícia Federal”.
George Wellington explicou que a atribuição do caso é da Polícia Federal, pois em tese, o fato teria ocorrido nas dependências do hospital.
“Conforme chegou ao conhecimento do público em geral por mensagens de WhatsApp que foram expostas, o ato sexual teria ocorrido dentro de um hospital universitário federal e ali dentro, todos os interesses representados são da União e não do estado da Paraíba, por isso não cabe a Polícia Civil investigar”,disse o delegado.
O outro lado
O diretor administrativo do HUJB, Marcelo José Pinheiro, informou que o hospital é monitorado por câmeras de segurança e as imagens já passaram por uma análise e contrariam as mensagens da suposta prática de sexo entre os dois funcionários durante o plantão.
De acordo com Marcelo Pinheiro, apenas os banheiros e as enfermarias não são vigiadas pelas 30 câmeras da unidade hospitalar, mas outros funcionários que estavam de plantão com os supostos envolvidos na conversa foram ouvidos e nenhum deles teriam observado qualquer comportamento diferente dos colegas.
Segundo o diretor, as mensagens teriam sido arquitetadas por uma terceira pessoa, que há um tempo teve envolvimento amoroso com o motorista e ela mesma teria divulgado o conteúdo num aplicativo de mensagens instantâneas, que vazaram na terça-feira (10).
“Acreditamos que tenha sido algo forjado para prejudicar os nossos funcionários. Recebi ligação de uma mulher denunciando o caso e dizendo ser muito grave, além de perguntar se o hospital demitiria o funcionário. Ela ainda me ofereceu os prints da conversa, mas não aceitei”, revelou o diretor.
Investigação da PF
A Direção do Hospital Universitário Júlio Bandeira (HUJB) de Cajazeiras havia divulgado, nota na últimasexta-feira (13), informando que determinou de abertura de Processo Administrativo para verificar a veracidade das informações compartilhadas em redes sociais envolvendo suposta prática de atos sexuais de prestadores de serviços dentro da Instituição, em horário de plantões.
Na nota, a direção do hospital revelou também e que se fosse necessário iria encaminhar processo para apuração junto a Polícia Federal.
Entenda o caso
Conversas mostrando a suposta pratica de sexo de funcionários dentro do hospital de Cajazeiras, durante os plantões, repercutiram na rede social WhatsApp nesta quinta-feira (13). Rapidamente o bate-papo, com detalhes de relações sexuais, foram compartilhadas para os celulares pelo aplicativo. O fato já é o mais comentado da cidade.
Numa postagem, a mulher revela que fez sexo com o amante durante o plantão, dentro do hospital. “Quando vamos fazer aquela loucura novamente dentro do hospital?”, indagou.
Em resposta, o amante lhe prometeu que da próxima vez seria dentro da ambulância da unidade hospitalar.
whats
Noutra mensagem, a mulher revela que é casada e esnoba o próprio marido. “O corno está voltando”, disse.
whats2
Devido a repercussão do caso, a direção do hospital se comprometeu a tomar providências. As profissões do casal não foram divulgadas.
whats3
Diário do Sertão

Compartilhe esta noticia:

Postar um comentário

 
Copyright © UIRAÚNA EM FOCO. Designed by Rafael Matias