Prefeita Denise já gastou, até julho deste ano, quase 21 milhões com folha de contratados e cargos comissionados

Prefeita Denise já gastou, até julho deste ano, quase 21 milhões com folha de contratados e cargos comissionados
O SINFUMC – Sindicato dos Funcionários Municipais de Cajazeiras voltou a denunciar, em nota pública, o que chamou de absurdo administrativo e falta de zelo da administração da prefeita Denise Oliveira com o dinheiro do povo, ao apontar que de janeiro de 2013 a julho deste ano, ou seja, em 1.030 dias de governo, a gestão pagou R$ – 20.909.266,24 (vinte milhões, novecentos e nove mil, duzentos e sessenta e seis reais e vinte e quatro centavos), com a folha de contratados e comissionados.
A direção do sindicato questiona como a população poderá dar crédito, diante do absurdo, o discurso das autoridades municipais, de que há uma crise financeira na Prefeitura de Cajazeiras.
“Com todo esse dinheiro absurdamente disponibilizado para contratação de pessoal e comissionados, a gestora municipal já teria quitado parte da dívida da prefeitura com o IPAM. Já teria sido possível construir ao menos duas escolas modelo no município de Cajazeiras. Os servidores efetivos já teriam recebido os dois meses trabalhados, e não pagos em 2008. Se houvesse zelo pelo erário público nessa administração, haveria um pleno funcionamento dos postos de saúde”, argumenta a nota do SINFUMC.
Vejam a nota:                                              
A FALTA DE ZELO DA ADMINISTRAÇÃO LOCAL COM O DINHEIRO DO POVO

Senhores/as servidores efetivos da prefeitura de Cajazeiras reparem a partir de então, como a gestão municipal fez e faz uso do dinheiro público, objetivando agradar uma pequena parcela da sociedade, contida nas folhas de pagamento dos servidores contratados e comissionados no período de janeiro de 2013 a julho de 2015, isto é, em 1.030 dias de administração.
1º) – Ano 2013, a gestora Francisca Denise Albuquerque de Oliveira ordenou despesas na ordem de R$ 5.497.626,24 (cinco milhões, quatrocentos e noventa e sete mil, seiscentos e vinte e seis reais e vinte e quatro centavos) com pessoal contratado e comissionado.
2º) – No ano seguinte 2014, a autoridade do Poder Executivo local, não se conteve, e por isso, resolveu aumentar o valor das despesas com a folha de contratados e comissionados, ou seja, disponibilizou a bagatela de R$ 9.758.814,94 (nove milhões, setecentos e cinqüenta e oito mil, oitocentos e quatorze reais, noventa e quatro centavos).
3º) – O tempo foi passando, a falta de prudência com o dinheiro do povo continua em aceleração, em apenas sete meses do ano 2015, a prefeita de Cajazeiras, já ordenou despesa com a folha de contratados e comissionados, visando agraciar seus correligionários de plantão, na ordem de R$ 5.652.825,06 (cinco milhões, seiscentos e cinqüenta e dois mil, oitocentos e vinte e cinco reais e seis centavos).
4º) –  Portanto, servidor/a municipal efetivo a gestora cajazeirense em destaque, já utilizou recursos públicos para quitar pagamentos com os cargos contratados e comissionados, nos 1.030 dias de governo, na ordem de R$ 20.909.266,24 (vinte milhões, novecentos e nove mil, duzentos e sessenta e seis reais e vinte e quatro centavos).
5º) –  Diante desse absurdo administrativo com o dinheiro do povo, é possível o servidor municipal efetivo e o conjunto da sociedade local, dar crédito ao ouvir as autoridades dizerem, que há uma crise financeira na prefeitura de Cajazeiras?
6º) – Com todo esse dinheiro absurdamente disponibilizado para contratação de pessoal e comissionados, a gestora municipal já teria quitado parte da dívida da prefeitura com o IPAM. Já teria sido possível construir ao menos duas escolas modelo no município de Cajazeiras. Os servidores efetivos já teriam recebido os dois meses trabalhados, e não pagos em 2008. Se houvesse zelo pelo erário público nessa administração, haveria um pleno funcionamento dos postos de saúde.
7º) – Outrossim, até agosto de 2015, a prefeitura de Cajazeiras já recebeu  recursos do FPM, FUNDEB e FUNDO – SAÚDE na ordem de R$ 26.221.197,09 (vinte e seis milhões, duzentos e vinte e um mil, cento e noventa e sete reais e nove centavos). Isto é, há uma superação em relação ao ano de 2014, na ordem de R$ 2.047.863,03 (dois milhões, quarenta e sete mil, oitocentos e sessenta e três reais e três centavos).
Contrariedades, contestações ao que ora está sendo divulgado pelo SINFUMC, de imediato se entender com: o Governo Federal, o TCE/PB e o Banco do Brasil.
Cajazeiras/PB, em 29 de Setembro de 2015
A Diretoria do SINFUMC
F: Adjamilton Pereira

Compartilhe esta noticia:

Postar um comentário

 
Copyright © UIRAÚNA EM FOCO. Designed by Rafael Matias