Omissão do município – Paciente com recidiva de hanseníase não consegue receber a medicação e tem quadro de saúde agravado

Omissão do município – Paciente com recidiva de hanseníase não consegue receber a medicação e tem quadro de saúde agravado
O senhor José Roberto, de 51 anos, residente no Bairro Cristo Rei na cidade de Cajazeiras está passando por uma verdadeira via crucis para receber um medicamento para seu tratamento de hanseníase, que o governo fornece gratuitamente e que não é disponibilizado para ser vendido em farmácia, simplesmente porque a secretaria de saúde do município não dispõe de um médico especialista cadastrado, que possa prescrever a medicação.
O referido cidadão, que já havia feito tratamento durante um ano, voltou a apresentar sinais e sintomas da doença, principalmente as seqüelas do tratamento, quando lhe foi definido tratamento com outra medicação, desta feita a talidomida (100mg), por mais um ano, o que vinha acontecendo, normalmente, até o mês passado, quando não conseguiu receber, no núcleo regional de Saúde, a sua medicação, por falta da prescrição de um médico especialista – “Fiquei 19 dias sem tomar a medicação e minha doença se complicou, com irritação e caroços pelo corpo”, conta seu Zé Roberto.
Com a interferência de amigos, o paciente pagou uma consulta particular para ter direito a prescrição do medicamento e, em virtude do agravamento da doença, recebeu, no núcleo de saúde, a medicação destinada a outro paciente, até que a sua seja normalizada, o que ainda não é certeza, pois o município ainda não cadastrou um médico para essa finalidade.
F: ADJAMILTON PEREIRA

Compartilhe esta noticia:

Postar um comentário

 
Copyright © UIRAÚNA EM FOCO. Designed by Rafael Matias