Frente Parlamentar da Água denuncia que Empresa usa água nas Várzeas de Sousa para plantar Capim, num tratamento desumano à proibição de irrigação

Segundo reclamação de agricultores que estão sendo multados, somente os pequenos produtores estão sendo penalizados, enquanto os grandes usam água à vontade
O presidente da Frente Parlamentar da Água da ALPB, deputado Jeová Campos (PSB) recebeu denúncia de vários produtores rurais da área das Várzeas de Sousa que estão proibidos de utilizar água para irrigação de suas culturas e que estão sendo multados, com elevadas quantias, quando desobedecem a orientação da ANA e da AESA.

Contraditoriamente, enquanto os pequenos estão sendo penalizados,  a empresa Santana continua mantendo a irrigação em sua plantação de capim, inclusive com a utilização de pivôs permanentes, sem que os órgãos responsáveis tomem alguma providência.
            
“Esse tratamento desigual de proibir para uns e abrir mão para outros, além de  injusto é desleal. Se a proibição é para todos, pequenos, médios e grandes devem seguir essa mesma orientação”, indaga o deputado Jeová Campos. Ele salienta que a proibição de usar as águas do Rio Piranhas para irrigação deve ser também estendida às águas do complexo Coremas/Mãe D’água que se constitui no único reservatório de água existente entre o trecho que compreende a cidade de Campina Grande até Cajazeiras.

 “Eu mesmo comprovei na manhã desta segunda-feira (20) a indevida utilização das águas de Coremas/Mãe D’Água para irrigação de capim da empresa Santana. A irrigação da Santana já devia ter sido  proibida porque não há sentido a utilização da pouca água que ainda existe naquele complexo para irrigação. Ele é nosso único reservatório e precisa ser preservado”, afirma Jeová que vai encaminhar ofício a ANA  a AESA cobrando explicações sobre essa situação e pedindo a imediata suspensão da irrigação pela empresa Santana.

Na sessão plenária do último dia 14, os deputados que integram a Frente Parlamentar da Água decidiram que na próxima sexta-feira (24) vão ver in loco a situação das águas do complexo Coremas/Mãe D’água e dos pequenos agricultores que estão proibidos de realizar a irrigação de suas propriedades. “Vou convidar a ANA e a AESA para se fazerem presentes nesta visita para que eles tomem as medidas cabíveis que a situação requer”, disse Jeová

fonte: folha do sertão

Compartilhe esta noticia:

Postar um comentário

 
Copyright © UIRAÚNA EM FOCO. Designed by Rafael Matias