Frente Parlamentar da Água da ALPB encaminha oficio ao Ministério da Integração cobrando solução para gargalos nas obras da transposição

Presidente da Frente, Jeová Campos, cobra solução para construção do canal que liga as barragens de Caiçara a Engenheiro Ávidos e mais celeridade nas obras do Eixo Norte, no CE

O presidente da Frente Parlamentar da Água da ALPB, Jeová Campos, encaminhou nesta segunda-feira (13), um ofício ao gabinete do ministro Gilberto Occhi, da Integração Nacional, cobrando uma solução para a questão do canal  complementar do Eixo Norte, que liga as barragem de Caiçara e Engenheiro Ávidos, que ainda nem foi licitada, mas que é imprescindível para que as águas da transposição possam chegar às cidades da Paraíba, inclusive Cajazeiras, e do Ceará. No mesmo documento, o deputado pede especial atenção do Ministério sobre o atraso nas obras do Eixo Norte, do lado do estado do Ceará.

Segundo Jeová Campos, que visitou na última segunda-feira (06) o canteiro de obras do Eixo Norte da transposição do Rio São Francisco, no Lote 7, enquanto as obras na Paraíba estão com 86% de sua totalidade concluída, com previsão de término em 90 dias, a parte do Ceará tem menos de 50% da obra realizada. “Há um atraso na execução da parte estrutural dos canais no CE que está sendo executada pela Mendes Júnior que o Ministério precisa verificar com cuidado, isto porque como a obra se complementa em suas várias etapas, pouco vai adiantar a parte da Paraíba ficar pronta se a do Ceará não for concluída também”, explica o presidente da Frente Parlamentar da Água da ALPB.

Ainda segundo Jeová, outra situação preocupante e que requer agilidade do Ministério é a realização da obra do canal que vai ligar as barragens de Caiçara a Engenheiro Ávidos. “O projeto da transposição, não sabemos por que, não contemplou a construção deste canal que é fundamental para que as águas da transposição cheguem a cidades da Paraíba, inclusive, Cajazeiras, e do Ceará. Sem essa obra a água simplesmente ficará represada, sem chegar ao destino prometido”, afirma Jeová. O deputado explica que a obra se constitui na construção de um canal de apenas 3,4 km, além de serviços de revitalização de canais do rio. “Com o canal e esse serviço, no restante do percurso, que totaliza 13 km, a água vai por derivação”, explica Jeová.

Sobre as obras do Lote 7

As obras da transposição no Lote 7 começam no túnel Cuncas 1 que tem um canal de cerca de 3 km que deságua na primeira barragem que é o reservatório de Morros. De lá, tem outro canal de cerca de 3 km deságua no reservatório da Barragem de Boa Vista. Da barragem de Boa Vista existe um canal de transição que joga água dentro do túnel Cuncas 2, a partir do qual a água vai para o reservatório de Caiçara. O Lote 6, que fica no Ceará, compreende cerca de 20 km de canais,  diversas pontes e passarelas.  Os dois lotes juntos totalizam uma obra orçada em R$ 650 milhões, sendo 50% para cada lote. As obras integram o eixo norte do canal da transposição das águas, que começa na cidade de Mauriti (CE) e termina em São José de Piranhas (PB).

f: folha do sertão

Compartilhe esta noticia:

Postar um comentário

 
Copyright © UIRAÚNA EM FOCO. Designed by Rafael Matias