ads

Slider[Style1]

.

.

.

.
PUBLICIDADE.

Style2

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Style4

Style5

Candidato a prefeito morre há 5 dias da eleição na PB

O candidato a prefeito da cidade de Santo André, no Cariri paraibano, Petrônio Matias de Medeiros (PR) morreu aos 71 anos, na manhã desta terça-feira (27). A informação foi confirmada pela prefeitura da cidade, que já decretou três dias de luto oficial. O empresário morreu em casa.


De acordo com a prefeitura, Petrônio Medeiros enfrentava um câncer e recentemente havia passado por uma cirurgia. O empresário era candidato pela coligação “Resgatando Santo André”, chapa que tem como candidato a vice-prefeito, Edson Matias de Medeiros. Petrônio já foi prefeito de Gurjão, quando Santo André era um distrito do município.
O G1 tentou entrar em contato com a família e coligação, mas as ligações não foram atendidas. De acordo com o chefe de cartório substituto da 56ª Zona Eleitoral, Gleidson Castelo Branco Magalhães, até 14h o órgão ainda não havia sido notificado oficialmente sobre a morte do candidato.
Segundo o chefe do cartório, este é o único caso onde uma chapa pode mudar de candidato depois do prazo máximo de 20 dias que antecedem as eleições. “A coligação pode indicar outro nome para substituir o candidato que morreu. Isso pode ocorrer até a véspera do pleito, sábado (1º)”, disse ele.
Na segunda-feira (26), morreu no Hospital Clementino Fraga, em João Pessoa, a candidata a prefeita do município de Solânea, Rosângela Vital (PSOL). Ela enfrentava um câncer no cérebro.
Dados na urna

Ainda de acordo com Gleidson Castelo Branco Magalhães, como os dados dos candidatos já foram instalados na urnas eleitorais e elas já foram lacradas para distribuição, no dia da eleição, a foto e dados de Petrônio Medeiros vão aparecer na urna, mas o voto vai ser validado para o candidato que for substituí-lo.

G1

Bancários mantém greve após reunião terminar sem acordo

A reunião da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) desta terça-feira (27) terminou sem acordo, e os bancários decidiram manter a greve. Uma nova rodada de negociações foir marcada para quarta-feira (28), às 15h.


No 22º dia de greve, 13.449 agências e 36 centros administrativos tiveram as atividades paralisadas, segundo o último balanço da Contraf-CUT. É a greve mais longa já realizada pela categoria dos bancários.
Andamento da negociação

A última proposta apresentada pelos bancos no dia 9 de setembro foi de reajuste de 7% para os salários e benefícios, mais abono de R$ 3.300 a ser pago até 10 dias após a assinatura do acordo. A proposta foi recusada pelos sindicatos.
Os bancários querem reposição da inflação do período mais 5% de aumento real, valorização do piso salarial – no valor do salário mínimo calculado pelo Dieese (R$ 3.940,24 em junho) -, PLR de três salários mais R$ 8.317,90, além de outras reivindicações, como melhores condições de trabalho.
Agências fechadas

Segundo último balanço da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), a greve fechou 13.420 agências e 33 centros administrativos na segunda-feira (26).
A Fenaban não tem divulgado balanços diários de agências fechadas, mas informa que a população tem à sua disposição uma série de canais alternativos para realizar transações financeiras.
De acordo com o Banco Central, o país tem 22.676 agências bancárias instaladas, segundo último balanço do Banco Central.
Negociações

A categoria já havia rejeitado a primeira proposta da Fenaban – de reajuste de 6,5% sobre os salários, a PLR e os auxílios refeição, alimentação, creche, e abono de R$ 3 mil. A proposta seguinte, também rejeitada, foi de reajuste de 7% no salário, PLR e nos auxílios refeição, alimentação, creche, além de abono de R$ 3,3 mil.
Os sindicatos alegam que a oferta não cobre a inflação do período e representa uma perda de 2,39% para o bolso de cada bancário. Os bancários querem reposição da inflação do período mais 5% de aumento real, valorização do piso salarial – no valor do salário mínimo calculado pelo Dieese (R$ 3.940,24 em junho) -, PLR de três salários mais R$ 8.317,90, além de outras reivindicações, como melhores condições de trabalho.
A Fenaban disse em nota que a última proposta apresentada “resulta numa remuneração superior à inflação prevista para os próximos doze meses, com ganho expressivo para a maioria dos bancários”.
Atendimento

Em nota, a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) lembra que os clientes podem usar os caixas eletrônicos para agendamento e pagamento de contas (desde que não vencidas), saques, depósitos, emissão de folhas de cheques, transferências e saques de benefícios sociais.
Nos correspondentes bancários (postos dos Correios, casas lotéricas e supermercados), é possível também pagar contas e faturas de concessionárias de serviços públicos, sacar dinheiro e benefícios e fazer depósitos, entre outros serviços.
Greve passada

A última paralisação dos bancários ocorreu em outubro do ano passado e teve duração de 21 dias, com agências de bancos públicos e privados fechadas em 24 estados e do Distrito Federal. Na ocasião, a Fenaban propôs reajuste de 10%, em resposta à reivindicação de 16% da categoria.
Paraíba
A adesão ao movimento na Paraíba atinge 90,58% das agências, de acordo com balanço do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários no estado (Seeb-PB). Ainda segundo o sindicato, em todo o estado, das 138 agências existentes, 125 aderiram à greve.

G1
Foto: Cofemac

Polícia prende cestas básicas e 'santinhos' de candidato na PB

Cestas básicas com “santinho” de candidato a vereador da cidade de Bayeux, na Grande João Pessoa, foram encontradas pela Polícia Civil durante uma operação de combate ao tráfico de drogas e roubos que resultou na prisão de seis pessoas e apreensão de um adolescente. Segundo a delegada Júlia Valeska, da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), o material foi encontrado na casa de uma das suspeitas presa por tráfico e roubos que possivelmente trabalhava na campanha eleitoral.


Além das cestas básicas com o papel do político, uma lista com nome de eleitores da cidade foi achado na casa de uma outra suspeita, de acordo com a polícia. “A nossa operação era para cumprir mandados de prisão por tráfico, roubos e homicídios na região da Grande João Pessoa, mas na ação acabamos encontrando as cestas e uma lista com nome de eleitores”, explicou a Júlia Valeska.
A delegada ainda informou que não estaria autorizada a citar o candidato pois a investigação do suposto crime eleitoral deve ser parte de um inquérito a parte do que resultou na prisão do grupo. A polícia cumpriu mandados de prisão preventiva em Bayeux na tarde de segunda e prendeu seis pessoas, além de apreender um adolescente. Com os suspeitos, foram recolhidos dois quilos de crack, 50 gramas de maconha e cerca de R$ 5,6 mil em dinheiro.
O líder do grupo já encontrava preso no complexo prisional de Jacarapé PB1. O presidiário responde no presídio pela morte de um policial civil em 2003. Os suspeitos detidos na ação e o material apreendido foram encaminhados para Central de Polícia, no bairro do Geisel, em João Pessoa.
“Todos os detidos apresentaram advogados e decidiram falar apenas em juízo. Eles devem passar pela audiência de custódia nesta terça-feira e depois serem encaminhados para a cadeia pública de Bayeux. Sobre o caso de suspeita de crime eleitoral, a polícia deve investigar”, concluiu a delegada da DRF.

G1

Moto e carro colidem e deixa dois feridos em Uiraúna

Um acidente envolvendo uma moto e um carro Celta prata, placas final 0425 (Major Sales-RN) ocorreu às 8h20 da manhã dessa terça-feira (27/SET) no Centro de Uiraúna, em frente à igreja matriz.

Segundo informações da Polícia Militar, o sinistro se deu quando o carro e a moto vinham no mesmo sentido e o motorista tentou fazer uma conversão. A moto, que vinha atrás, acabou batendo na lateral do carro, arrancando o para-choque da frente. Os dois ocupantes da motocicleta caíram no asfalto.
Conduzia o carro Manoel Carlos Lopes Morais, que é agente penitenciário e morador de Major Sales-RN. Ele não sofreu ferimentos e acionou o socorro para vítimas.
Conduzia a moto, segundo informações da PM, José Bernardes de Andrade, morador do Bairro Mutirão; na garupa estava Francisco Pereira da Silva Junior, morador do Cristo rei, também em Uiraúna.
Uma equipe do SAMU chegou rapidamente ao local. O condutor da moto sofreu apenas arranhões e não quis ser atendido. Já o carona, conhecido por Júnior de Natalice, recebeu os primeiros socorros e apresentava suspeita de fratura no braço esquerdo; também tinhas lacerações na perna esquerda. O rapaz estava consciente e foi levado até a base do SAMU para avaliação pelo médico de plantão, em seguida foi transferido para Cajazeiras.
Uma guarnição da Polícia Militar esteve no local garantindo a segurança de todos.

COFEMAC

Candidato posa para foto exibindo mala cheia de dinheiro no Sertão da PB

Um fato no mínimo inusitado às vésperas das eleições municipais aconteceu no Sertão da Paraíba. Fotos do candidato à vice prefeito da cidade de Sousa, Enio Medeiros, mostrando uma mala de sua propriedade com cédulas de R$ 100,00, está circulando nas redes sociais em todo estado.
Em um momento em que o país vem enfrentado uma grande crise econômica, parece não ser problema para o candidato ostentação. Além disso, a nova lei eleitoral limitou os gastos de campanha no país.
As fotos tem chamado muito a atenção na região e gerado diversas críticas ao grupo político da “Cidade Sorriso”, como é chamada o município de Sousa.
Fonte Mais Patos

Governo do Rio Grande do Norte decreta situação de emergência por seca

O Governo do Rio Grande do Norte decretou nesta sexta-feira (23) estado de emergência pela seca em 153 municípios potiguares. De acordo com o decreto assinado pelo governador Robinson Faria, o estado fica livre para contratar, sem licitação, as obras e os serviços necessários para reduzir os efeitos para as consequências provocadas pela estiagem. O decreto vale por 180 dias a partir da publicação.
O G1 já havia antecipado a intenção do governo de prorrogar a situação de emergência. O decreto é o 7º consecutivo em cinco anos de estiagem severa.
No decreto, o governador considera que os cinco anos de seca desestruturaram cadeias produtivas do estado, afetando inclusive as exportações e a arrecadação de impostos. De acordo com governo, a estiagem causou uma frustração, quase por completo, das safras de grãos, 

tubérculos e demais culturas de subsistência, desestruturou a cadeia produtiva do mel – inviabilizando as exportações – e reduziu a em mais de 30% a produção de milho, arroz, feijão e sorgo.
Ainda de acordo com o decreto, os prejuízos no setor agropecuário é estimado em algo superior a R$ 4 bilhões. Para o Estado, o prejuízo representa uma redução de 50% na contribuição do setor rural para a formação do Produto Interno Bruto do RN.
Além dos problemas econômicos criados pela estiagem, a falta de chuva também afeta o abastecimento da população das cidades atingidas. O Governo também considerou o relatório da Companhia de Águas e Esgotos do estado (Caern) que aponta 14 cidades em colapso e 79 com o fornecimento de água sendo feito por rodízio.
Segundo um relatório do Instituto de Gestão das Águas do Estado do Rio Grande do Norte (Igarn), dos 47 reservatórios de água com mais de 5 milhões de metros cúbicos de água no RN, 21 estão em volume morto e oito estão secos. Ainda de acordo com o Igarn, a tendência é que outros cinco entrem em volume morto até o fim do ano.
G1 RN

Eleições 2016: Celular e máquina fotográfica são proibidos na cabina de votação

A cabina de votação é o local reservado da seção eleitoral em que o eleitor pode expressar, com total sigilo e inviolabilidade, seu voto na urna eletrônica. Assim, quando se dirigir à cabina de votação, o eleitor deve tomar cuidado para respeitar as proibições contidas na legislação eleitoral para que tudo corra dentro da normalidade no instante do voto.
Com o objetivo de assegurar o sigilo da votação, não é permitido ao eleitor, na cabina, o uso de celular (inclusive para tirar “selfie” do momento do voto). Também são proibidos máquinas fotográficas, filmadoras, equipamentos de radiocomunicação ou qualquer instrumento que possa comprometer esse sigilo. Cabe à mesa receptora reter esses objetos enquanto o eleitor estiver votando.
O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Admar Gonzaga ressalta que “quando o eleitor se dirige ao local de votação, é necessário ter em mente que está ali para o exercício de um direito de alta relevância na sua condição de cidadão”. “É um momento solene, em que ele exerce o seu direito de se expressar democraticamente para escolher, dentre os candidatos que concorrem, aqueles que entenda serem os mais aptos para exercer os cargos em disputa: cargos que determinam o exercício, pelo prazo de quatro anos, do mandato de prefeito e vereador, por exemplo, que cuidam das competências executivas e legislativas, respectivamente, no plano municipal”, acrescenta.
Sobre o sigilo do voto, o ministro salienta que “tão importante é esse direito que o cidadão deve exercê-lo com absoluta liberdade, ou seja, é dever da Justiça Eleitoral zelar para que o eleitor vote sem qualquer assédio, intervenção ou constrangimento”. “Mais que isso, a garantia do sigilo do voto se projeta como benefício para a sociedade, haja vista que a percepção de liberdade, para se manter íntegra, não pode ser abalada por episódios que se convertam em desconfiança contra o processo democrático. Com efeito, atuar contra a liberdade do voto, em qualquer hipótese, tem repercussão contra os interesses da sociedade e do país como nação. Isso porque o direito ao voto livre e consciente é um direito de igual valor para todos os cidadãos que estejam no pleno gozo de seus direitos políticos”, afirma o ministro.
Admar Gonzaga alerta que atentar contra a liberdade do voto é crime, conforme previsto no artigo 312 do Código Eleitoral (Lei nº 4.737/1965). “Portanto, caso o eleitor se apresente ao local de votação portando algum tipo de equipamento (máquina fotográfica, filmadora, celular, tablet etc.) capaz de registrar o próprio voto, deverá ser advertido a não utilizá-lo pelos mesários a serviço da Justiça Eleitoral”, observa.
“No caso de desobediência ou que a utilização desse tipo de equipamento seja apenas percebida após o exercício do voto, o fato deverá ser registrado em ata, pelo presidente da Mesa Receptora, para fins de apuração da hipótese de crime ou outra espécie de ilícito, dentre os quais a corrupção eleitoral, que, além de igualmente constituir crime, pode determinar a cassação do mandato do eleito, caso se apure a participação direta ou indireta do eleito no ilícito”, destaca o ministro.
Lembrete
No momento de votar, o eleitor pode levar para a cabina uma “cola”, um lembrete, ou seja, um papel com os números de seus candidatos para que possa marcar na urna eletrônica. Imprima aqui a sua.
Manifestação silenciosa
uiraúna.net

MPF denuncia prefeito na PB por fraude licitatória

O Ministério Público Federal (MPF) ofereceu denúncia contra o prefeito do município de Emas, na Paraíba, José William Segundo Madruga, por participação no esquema de fraudes para execução da obra de construção da Escola Municipal Maria das Neves Parente Miranda. A investigação concluiu que o prefeito, ao lado de comparsas, direcionou a licitação para uma empresa de fachada, a AJS Pavimentação de Estradas. Por meio desse processo, ele desviou recursos para favorecimento próprio, de parentes, amigos, funcionários da prefeitura e dos cúmplices do esquema, que forneceram as empresas fictícias para o processo licitatório no intuito de ocultar a execução da obra por Diogo Almeida, amigo do prefeito. A denúncia, oferecida ao Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5), pede, ainda, a condenação de outras 12 pessoas envolvidas na fraude.


De acordo com a denúncia, o prefeito Segundo Madruga teria apresentado a proposta de construção da Escola Municipal Maria das Neves Parente Miranda, no município de Emas, com o intuito de beneficiar Diogo Almeida, também denunciado. Os laços de amizade entre os dois, inclusive, eram conhecidos da sociedade e alardeados em redes sociais. A esposa de Diogo Almeida, Marcella Almeida, envolvida na fraude, também cuidava do andamento da obra, tendo elaborado o projeto arquitetônico. A construção da escola foi orçada em cerca de R$ 1 milhão e contou com recursos federais repassados por meio do convênio nº 29828/2014, com verbas oriundas do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).
Para concretizar o plano, foi utilizada a empresa de fachada AJS Pavimentação de Estradas e Construções Ltda., que conseguiu vencer o certame graças às articulações ilícitas promovidas por Segundo Madruga. Nessa parte, o prefeito contou com a colaboração do presidente da Comissão de Licitação do Município à época, Kelner Araújo, bem como de José Aloysio Júnior, José Aloysio Neto e Joílson Gomes, para ajustar um acordo com os administradores das demais empresas licitantes que possibilitasse o direcionamento em favor da AJS. Cada uma teria recebido o pagamento de vantagens para se afastarem da licitação, abrindo caminho para a vitória da AJS na Tomada de Preço nº 03/2014.
O desvio de recursos foi realizado com a utilização da conta da empresa AJS para recebimento dos valores. Para dissimular as movimentações financeiras ilícitas, os acusados utilizaram várias manobras. Logo após creditados na conta da empresa, os recursos eram sacados e entregues aos reais beneficiários envolvidos no ato ilícito, algumas vezes mediante triangulação, outras diretamente. Na denúncia, o MPF conclui que o esquema de desvio de recursos públicos federais e de lavagem de capitais foi executado em todas as sete parcelas pagas, até o momento, para a construção da Escola Municipal Maria das Neves Parente Miranda.
O prefeito José William Segundo Madruga está sendo denunciado por desvio de recursos públicos federais, cuja pena pode chegar a doze anos de reclusão, lavagem e ocultação de valores, com pena máxima de dez anos de reclusão, fraude em licitação, com pena máxima de quatro anos de detenção, e associação criminosa. No início de setembro, Segundo Madruga já havia sido afastado do cargo e preso temporariamente, pela Polícia Federal, em decorrência da Operação Veiculação, deflagrada pelo Ministério Público Federal para apurar desvio de recursos na locação de veículos às prefeituras de Patos e Emas, na Paraíba, mediante a contratação fraudulenta da empresa Malta Locadora, sediada em Pernambuco.
Os demais denunciados são: Diogo Antônio de Almeida Barbosa Pereira, Marcella Cavalcanti de Sá Almeida, Joilson Gomes da Silva, José Aloysio da Costa Machado Neto, José Aloysio da Costa Machado Júnior, Maria Virgínia Gomes Koerner Pereira, Kelner Araújo de Vasconcelos, Valdéria Soares Costa Simões, Paulo César Leite, Maxwell Brian Soares de Lacerda, Anderson Natan Fernandes Escarião e André Luis Lins Alves.

MPF

Governo entrega barragem Nova Camará beneficiando 225 mil habitantes

O governador Ricardo Coutinho inaugurou, nesta segunda-feira (26), a obra da Barragem Nova Camará, em Alagoa Nova, beneficiando aproximadamente 225 mil habitantes de mais de 20 municípios paraibanos, que sofreram com o rompimento da antiga barragem em 2004, quando mais de 800 famílias ficaram desabrigadas, quatro pessoas mortas e cidades destruídas. Mesmo antes de inaugurada, a Nova Camará já vinha sendo considerada a redenção de toda região do Brejo. Os investimentos ultrapassam R$ 48,6 milhões. Ricardo também entregou a primeira etapa do Sistema Adutor Nova Camará, que levará água de boa qualidade da barragem para mais de 48 mil habitantes. A vice-governadora Lígia Feliciano, o deputado federal Damião Feliciano, deputados estaduais, auxiliares do Governo e lideranças da região também participaram da inauguração.


Na ocasião, o governador caminhou pela obra e comentou que, após 12 anos da tragédia, Camará ressurge totalmente reconstruída e segura. Camará começou a ser reconstruída em 2012 e tem capacidade para acumular 26 milhões de metros cúbicos de água.  “Essa barragem tem uma história trágica que causou mortes e destruição, devido a omissão de algumas partes. Quando entrei no Governo, sabia que era preciso reconstruir essa obra para o bem da população. Hoje, tenho a honra e felicidade de estar aqui inaugurando a Barragem Nova Camará, que representa R$ 48 milhões em investimentos. Estamos escrevendo uma nova página para a história de Camará. E nesta segunda, também é um dia histórico porque tanto Esperança quanto Remígio já passam a receber a água de Camará, através da primeira etapa do Sistema Adutor Nova Camará. Esse era um dos grandes desafios que essa gestão tinha e que conseguimos cumprir”, pontuou.
Ricardo também falou sobre a chamada Primavera das Águas, um conjunto de obras que estão sendo entregues promovendo a segurança hídrica no Estado. “Já inauguramos a adutora de Natuba, Aroeiras, Conceição, Areia, Camará e esta semana ainda devo entregar a adutora de Jandaia, que significam R$ 280 milhões investidos. Ou seja, é muita coisa para a Paraíba festejar na área de recursos hídricos. São 1.100 km de adutoras entre as inauguradas e as que estão sendo feitas pelo Estado”, falou.
De acordo com secretário de Infraestrutura, Recursos Hídricos, Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia, João Azevedo, a obra trará para a região a tão sonhada segurança hídrica. “Hoje é um dia histórico para o povo e para quem trabalha neste Governo. A Barragem Nova Camará está pronta e entregue. Nós nos preocupamos também em elaborar e começar uma implantação de adutoras que estão em execução e levarão água de Camará para as cidades. Então é uma obra de extrema importância para os moradores das redondezas. Esta semana a água da Barragem Nova Camará já vai chegar para Remígio e Esperança. Essa gestão trabalha muito para levar esse líquido precioso até as residências da população”, afirmou.
Algodão de Jandaíra, Alagoa Nova, Areial, Campinote, Cepilho, Esperança, Chã de Marinho, Floriano, Jenipapo, Puxinanã, Lagoa Seca, Matinhas, São Tomé, Lagoa do Mato, Pocinhos, Remígio, São Miguel e São Sebastião de Lagoa de Roça serão beneficiados com a entrega da Barragem Nova Camará.
Já a primeira etapa do Sistema Adutor Nova Camará representa um investimento de R$ 28 milhões e beneficia Remígio e Esperança. Quando for concluído o sistema atenderá mais 11 municípios: Alagoa Nova, Alagoa Grande, Algodão de Jandaíra, Arara, Areial, Lagoa Seca, Matinhas, Montadas, Pocinhos, Puxinanã e São Sebastião de Lagoa de Roça.
“A Barragem Nova Camará tem um significado ímpar para a sociedade. O rompimento da obra deixou marcas trágicas e agora a história será reiniciada de forma segura. Nova Camará ressurge e vai garantir água para toda essa região. O Governo do Estado está de parabéns por esta obra grandiosa”, pontuou o deputado estadual Gervásio Maia Filho.
camara-barragem-1
Lembranças da tragédia – O aposentado José Vicente, de 82 anos, lembra que na noite do rompimento da Barragem foi um desespero nas cidades vizinhas. Era muita gente correndo para sair das casas e fugir da inundação. Conheço muitas pessoas que perderam tudo, uma tristeza grande. Agora esta obra foi refeita, está bonita e é só esperar Jesus mandar a água da chuva para encher a Barragem de Camará mais uma vez”, comemorou.
“Acredito que os moradores de Alagoa Grande foram os que mais sofreram com a inundação provocada pelas águas da Barragem Camará. Minha antiga vizinha ficou desabrigada, perdeu, além da moradia, os documentos pessoais. Foi um tempo muito difícil para a população das cidades que foram vítimas da inundação”, comentou a dona de casa Maria das Neves.
A estudante Ana Beatriz também relatou momentos do dia em que a tragédia aconteceu. “Felizmente eu moro numa parte de Alagoa Nova que não foi muito atingida. Mas, lembro muito bem do sofrimento de alguns amigos que ficaram sem ter onde morar, principalmente as pessoas de Alagoa Grande. Os postes foram arrancados, casas derrubadas, escolas e postos de saúde ficaram sem funcionar. Enfim, foi uma parte da história triste de lembrar. Agradeço ao governador por não deixar Camará esquecida. A Nova Camará com certeza só vai trazer alegrias para a população”, falou.
O rompimento da Barragem – Na noite do dia 17 de junho de 2004 a barragem de Camará se rompeu, levando desespero aos moradores das cidades de Alagoa Nova, Alagoa Grande, Areia e Mulungu. Mais de três mil pessoas ficaram desabrigadas e quatro morreram. O rompimento causou devastação, a água inundou ruas da parte baixa destes municípios, destruiu imóveis e saiu arrastando tudo pela frente. A tragédia marcou a vida de mais de 800 famílias da área.

Secom
camara-barragem-2

TRE-PB aprova pedido de tropas federais para Sousa

Além de Sousa recebem tropas federais os municípios: Marizópolis, Lastro, Aparecida, Santa Cruz, Nazarezinho, Vieirópolis, São Francisco e São José da Lagoa Tapada.

O pedido de forças federais para o município de Sousa, no Sertão paraibano foi aprovado pelo Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) nesta segunda-feira (26). O reforço policial durante as Eleições 2016 foi deferido ainda para mais oito municípios. Após aprovação por unanimidade do TRE-PB, a solicitação segue para análise do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).


A solicitação de mais segurança para a eleição do próximo domingo (2) foi feita pelos juízes da 35ª e da 63ª Zonas Eleitorais de Sousa, Renan do Valle Melo Marques e Anderley Ferreira Marques, respectivamente. De acordo com os magistrados, o objetivo é de garantir a segurança no pleito em todos os municípios abrangidos pelas Zonas Eleitorais: Sousa, Marizópolis, Lastro, Aparecida, Santa Cruz, Nazarezinho, Vieirópolis, São Francisco e São José da Lagoa Tapada.
Ao apresentar o pedido à Corte Eleitoral, os juízes destacaram um atentado ocorrido contra um candidato a prefeito de Sousa, que teve a casa atingida por vários tiros, além disso, o acirramento da disputa e a sensação de segurança também foram citados no pedido.

Click PB

Top